Delegado vai indiciar e pedir a prisão preventiva de 26 ativistas no Rio de Janeiro

Alessandro Thiers declarou que vai entregar o inquérito nesta sexta-feira ao MP; ativistas serão acusados de formação de quadrilha

283 0

Alessandro Thiers declarou que vai entregar o inquérito nesta sexta-feira ao MP; ativistas serão acusados de formação de quadrilha

Por Redação

Os ativistas que foram libertados na madrugada desta quinta-feira (17) podem voltar à cadeia. O delegado que cuida do inquérito, Alessandro Thiers, da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, no Rio de Janeiro, declarou que vai indiciá-los por formação de quadrilha qualificada e pedir a prisão preventiva dos 26 ativistas que são investigados por “violência nas manifestações”. Thiers disse que vai entregar o inquérito ao MP nesta sexta-feira (18).

A defesa dos cinco ativistas que permanecem presos no Complexo de Gericinó, em Bangu, entrou com novo pedido de habeas corpus. Continuam presos Elisa Quadros Pinto Sanzi (a Sininho), Tiago Teixeira Neves da Rocha, Eduarda Oliveira Castro de Souza, Camila Aparecida Rodrigues Jourdan e Igor Pereira D’lcarahy.

O pai de Elisa Quadros, Antônio Sanzi, declarou que a filha não estaria presente nos atos que aconteceriam na final da Copa do Mundo, no Rio de Janeiro. Segundo Sanzi, ela permaneceria em Porto Alegre. Também comentou que Elisa Quadros está fazendo o que “todos os jovens deveriam estar fazendo” e que “o Brasil vive sob um Estado-policial”.

Foto de capa: Reprodução



No artigo

x