Habeas corpus liberta 12 ativistas presos no Rio de Janeiro

Elisa Quadros, conhecida como "Sininho", ainda permanece presa; pai da ativista declarou que ela faz “o que todo jovem deveria fazer”

642 0

Elisa Quadros, conhecida como “Sininho”, ainda permanece presa; pai da ativista declarou que ela faz “o que todo jovem deveria fazer”

Por Redação

12 dos 19 ativistas que foram presos na véspera da final da Copa do Mundo, no Rio de Janeiro, foram libertados na madrugada desta quinta-feira (17). Cinco ativistas ainda permanecem presos, entre eles Elisa Quadros, conhecida como “Sininho”.

Os ativistas, que estavam detidos no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, foram beneficiados por um habeas corpus deferido pelo desembargador Siro Darlan, da 7ª Câmara Criminal. Em sua decisão, declarou que “não há elementos para mantê-los presos”.

O pai de Elisa Quadros, Antônio Sanzi, declarou que a filha não estaria presente nos atos que aconteceriam na final da Copa do Mundo, no Rio de Janeiro. Segundo Sanzi, ela permaneceria em Porto Alegre. Também comentou que Elisa Quadros está fazendo o que “todos os jovens deveriam estar fazendo” e que “o Brasil vive sob um Estado-policial”.

Os libertados são: Emerson Raphael Oliveira da Fonseca, Rafael Rêgo Barros Caruso, Filipe Proença de Carvalho Moraes, Felipe Frieb de Carvalho, Pedro Brandão Maia, Bruno de Souza Vieira Machado, Gabriel da Silva Marinho, Gerusa Lopes Diniz, Karlayne Moraes da Silva Pinheiro, Eloysa Samy Santiago, Rebeca Martins de Souza e Joseane Maria Araújo de Freitas.



No artigo

x