Pai enfrenta violência policial em documentário premiado; assista

"Quando Eu Me Chamar Saudade" conta a história de um pai que não se conformou em ver seu filho, morto por policiais, ser tratado como criminoso. A verdade era outra

811 4

“Quando Eu Me Chamar Saudade” conta a história de um pai que não se conformou em ver seu filho, morto por policiais, ser tratado como criminoso. A verdade era outra

Por Jarid Arraes

Dois rapazes de 20 anos de idade foram assassinados por policiais militares em 1º de julho de 2012, na cidade de São Paulo. Nos registros oficiais, as vítimas foram retratadas como criminosos que resistiram à prisão e trocaram tiros com os policiais. Desconfiado da versão contada, o pai de um dos garotos protagonizou uma luta pela apuração dos verdadeiros fatos.

Esse é o enredo do documentário dirigido pelo jornalista Renan Xavier, que aborda e dá notoriedade a mais um caso de violência policial. O curta “Quando Eu Me Chamar Saudade” foi produzido como Trabalho de Conclusão de Curso de Jornalismo da Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (FAPCOM) e recebeu premiação no Expocom Sudeste, concurso voltado para produções universitárias.

“Quando soubemos da história de Daniel Eustáquio, pai que conseguiu prender os 5 PMs acusados de matar seu filho, Cesar, ficamos muito comovidos. Entramos em contato com ele e propomos a produção de um documentário que narrasse sua história de luta”, explica Xavier. “O documentário tem o objetivo de conscientizar o público sobre os efeitos aterradores da violência policial, mas também pretende servir como fonte de inspiração e esperança para pessoas que enfrentaram dramas iguais”.

A obra foi disponibilizada pela equipe responsável e pode ser assistida abaixo. Confira:

Foto de capa: Reprodução



No artigo

4 comments

  1. Elias Responder

    Infelizmente na guerra brasileira inocentes morrem, enquanto o governo e a sociedade não reparar no genocídio de policiais a polícia sempre vai ser extremante violenta, é uma reação de uma condição de trabalho e de abandono por parte do governo, podem pintar a polícia de outra cor, mudar o nome, tirar as armas que nada vai mudar, se temos 80000 mortos por ano é porque alguma coisa está errada e o governo não percebe.

    1. Danilo moreira Responder

      Cara “Mateus” ou Idiota. Qual a comparação que vc quis tentar fazer com esse link que postou? o que tem a ver com esses traficantes o filho do cara?? Cada uma…

      1. Mateus Responder

        A violência da polícia é reflexo dessa violência, não existe polícia no mundo que trabalhe em tais condições que não seja violenta e que não cometa erros.


x