“Isso é absolutamente inadmissível”, diz Dilma sobre perfis de jornalistas alterados no Wikipedia

A presidenta afirmou que “repudia integralmente” ações como essa e pediu investigação sobre o caso Por Redação Neste sábado (9), ao chegar em Osasco, região...

400 1

A presidenta afirmou que “repudia integralmente” ações como essa e pediu investigação sobre o caso

Por Redação

Neste sábado (9), ao chegar em Osasco, região metropolitana de São Paulo, para um compromisso de campanha, Dilma Rousseff (PT) garantiu à imprensa que pediu investigações sobre as denúncias de que os perfis dos jornalistas Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg no site Wikipedia foram alterados por computadores ligados à rede da Presidência. “Isso é absolutamente inadmissível por parte do Planalto e do governo federal ou por parte de qualquer governo”, afirmou.

Segundo a presidenta, a investigação envolverá vários órgãos do governo, como Casa Civil, Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, Ministério da Justiça, Secretaria-Geral da Presidência e Controladoria-Geral da União. “Pela experiência que a gente sabe que existe, acho que é possível descobrir [os responsáveis]”, declarou.

A petista mostrou que “repudia integralmente” esse tipo de ação. “Nesse caso, é algo que quem quiser fazer individualmente que faça, mas não coloque o governo no meio”, disse. Ela lembrou que também já foi vítima de ataques virtuais, quando, na campanha de 2010, teve sua conta de e-mail invadida.

A denúncia de que as páginas dos jornalistas foram modificadas, em maio de 2013, por meio da rede do Palácio do Planalto foi feita pelo jornal O Globo.

Foto de capa: Paulo Pinto/Analítica



No artigo

1 comment

  1. Ewerardo Tabatinga, Belo Horizonte Responder

    A mídia golpista, especialmente as Organizações Globo, está desesperada porque já viu que perdeu as eleições, pois, não consegue mais acabar com o PT – que é o seu objetivo primordial – mas, que Dilma irá acabar com ela – a mídia privada, neoliberal, antipetista e golpista – que urde e trama contra a República e a nossa Constituição Federal. Não com um Golpe Civil e Militar, como já fizera ela, a Globo, em 1964, mas, democraticamente, nas urnas, em 2014. Assim, a Globo já pressentiu que o seu candidato tucano será abatido no voto pelos eleitores petistas. Pois, agora, depois de tantas tentativas de golpes, frustradas – desde o “Lula sabia…”, passando pelo “Cansei… da Hebe Camargo “, o ataque permanente à Petrobrás, até o “Fracasso da Copa” – só resta mesmo agora chamar o patrãozão lá do “Pentágono”, da CIA e do FMI… Chamem, agora, que eu quero ver, “seus” vassalos! Covardes! A Dilma não estará sozinha!


x