“Com FHC, o Brasil quebrou três vezes”, afirma Dilma

Em evento com estudantes, a presidenta e candidata à reeleição afirmou que a "Argentina de hoje" vive uma situação melhor que a do Brasil governado pelo PSDB

495 0

Em evento com estudantes, a presidenta e candidata à reeleição afirmou que a “Argentina de hoje” vive uma situação melhor que a do Brasil governado pelo PSDB

Por Redação

A presidenta Dilma Rousseff participou de evento com estudantes, na Uninove, em São Paulo, na noite desta segunda (11). No encontro, Dilma convocou a juventude para apoiá-la na luta pela garantia de mais avanços educacionais no Brasil. “Confio em vocês porque representam uma parte da luta em nova forma, em nova escala, em relação ao que foi nossa luta do passado. Confio que vocês serão o meu combate, aqueles que vão defender o sentido desse projeto de um país soberano, democrático, em que todos possam realizar o sonho que querem realizar”, declarou. “Vocês são aqueles que vão defender o futuro.”

Candidata à reeleição, ela destacou os avanços que os governos petistas tiveram com as políticas voltadas à juventude, principalmente as que ampliam o acesso à universidade, com o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Ela lembrou que são sete milhões de “estudantes a mais nas universidades, 49 mil escolas em tempo integral, 422 escolas técnicas federais” e que “mais de 200 bilhões serão destinados à educação nos próximos 10 anos, com o investimento em educação chegando a 10% do PIB”, que hoje representa 6,4%. “Agora, o filho da empregada doméstica pode ser doutor”, afirmou.

A presidenta rebateu críticas feitas pela oposição sobre a política econômica do governo. Segundo Dilma, a Argentina “de hoje” vive uma situação melhor que a do Brasil nos piores momentos econômicos sob a gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que recorria ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para tomar empréstimos. “O Brasil quebrou três vezes naquela época. Hoje os jornais falam da Argentina, mas a situação, naquele momento, era mais grave”, disse.

Ainda sobre os tucanos,  Dilma lembrou comentou a respeito do aeroporto de Cláudio, construído por Aécio Neves enquanto governava Minas Gerais, o iminente racionamento de água em São Paulo e a crise das universidades paulistas.

Foto: Ichiro Guerra

 



No artigo

x