70% dos moradores do Rio querem mudanças nas UPPs

Na última sexta-feira, houve mais uma denúncia de inocente morto pela polícia em troca de tiros.

485 2

Na última sexta-feira, houve mais uma denúncia de inocente morto pela polícia em troca de tiros

Por Redação

Pesquisa recente do Datafolha mostrou que, na avaliação de 70% dos moradores do Rio de Janeiro, as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) deveriam passar por mudanças. Do total, 15% dos entrevistados defendem que as UPPs podem permanecer como funcionam atualmente e 9% avaliam que o projeto deveria acabar.

Entre as críticas levantadas na capital carioca, está o fato de que a ocupação policial, inicialmente, seria para preparar o terreno para a chegada de políticas sociais; porém, a proposta ainda está distante da realidade. Ainda faltam investimentos como saneamento básico, coleta de lixo e mais segurança nas comunidades. Na prática, a polícia virou gestora do espaço, determinando horário de bailes, festas e interferindo até mesmo no funcionamento do comércio.

Ainda segundo a pesquisa, 49% dos entrevistados avaliam que as unidades melhoraram, ao menos um pouco, a segurança na cidade. Já 44% dizem que não ouve alteração. Criadas em 2008, existem hoje 38 UPPs no estado: 37 na capital e uma em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Mais uma morte

Na última sexta-feira (22), moradores do Morro dos Macacos, na Zona Norte do Rio, acusaram PMs pela morte de José Roberto Lorena Ramos, de 28 anos, baleado em uma troca de tiros. Familiares da vítima afirmam que ele era ourives, trabalhava no centro da cidade e não tinha qualquer envolvimento com o tráfico. As irmãs contaram que ele estava subindo o morro sozinho para ir à casa da avó quando foi atingido por três tiros a uma curta distância.

Depois do enterro, vizinhos e amigos fizeram um protesto na avenida 28 de Setembro. O caso foi registrado na 20ª DP como homicídio decorrente de ação policial. A família também reclamou da demora para conseguir registrar a ocorrência. Já a coordenadoria da Polícia Pacificadora (CPP) argumentou que os policiais foram atacados e somente revidaram os tiros de traficantes, entre os quais estaria José Roberto.

Foto: Tânia Rêgo/ABr



No artigo

2 comments

  1. Carlos Responder

    Ser PM nessas localidades é coisa de herói e se tem uma população que não merece um pingo de suor de cada policial no Brasil é essa do Rio de Janeiro e boa parte do Brasil, quanto PMs foram mortos para tentarem pacificar esse antro de assassinos, temos inocentes no meio certamente mas antigamente os pais entregavam os filhos para a polícia hoje não vejo muito mais isso estamos piorando. Um tiro de fuzil vara uns 12 barracos, sem uma mudança na legislação e políticos firmes e honestos nada vai mudar. O Brasil precisa de pena de morte para homicídio as coisas iriam mudar.

  2. Augusto Responder

    https://www.facebook.com/photo.php?v=827872973913438&set=vb.281725565194851&type=2&theater

    A realidade de um agente penitenciário no Brasil é essa, muitos se matam, nunca admirei muito o Brasil mas quanto entrei na polícia descobri que é um país de criminosos geralmente ligados ao trafico em todas as estancias de poder e nas ruas, somos o país mais assassino e podre do planeta, onde uma população falida moralmente apoia criminosos em vez de policiais que se arriscam por ela, ou seja o Brasil de hoje vai piorar e muito graças inclusive a essas distorções pregadas nesses sites que vitimizam o crime, crime esse que amarra vitimas, espalha Crack pelo país tem seus “rappers” alienados passando fome enquanto eles estão de carrões zombando da sociedade, dos filhos das famílias mortas, um país de covardes influenciado por ideologia falida onde nem se quer os professores conseguem mais dar aulas em paz, por isso que me mudei desse lixo chamado Brasil por conhecer essa podridão de perto, e tenho penas das pessoas honestas que vivem nesse antro de lixo de país pois a situação ira piorar, teremos mais de 100000 mortos por ano, uma população honesta desarmada, e ignorantes influenciados pelo crime em comunidades e favelas defendendo assassinos de seus próprios filhos, esse país Brasil tem que se engasgar com a quantidade de sangue de inocentes que gera, e que um dia um general, politico seja lá o que for de fato faça o que é necessário e coloque novamente ordem na casa, amanha mais milhares de inocentes serão mortos pelos seus queridos bandidos. Transformaram o Brasil em um puteiro e querem um país “igualitario” com um povo que defende bandido, vota neles e são mortos por eles.


x