Para filha de Chico Mendes, Marina é “enorme ponto de interrogação”

A ambientalista Ângela Mendes ainda afirmou que suas “esperanças são pra companheira Dilma” Por Ângela Mendes, em seu Facebook Ok… alguns amigos me pediram uma posição sobre a candidatura da Marina e a menção...

459 1

A ambientalista Ângela Mendes ainda afirmou que suas “esperanças são pra companheira Dilma”

Por Ângela Mendes, em seu Facebook

Ok… alguns amigos me pediram uma posição sobre a candidatura da Marina e a menção que ela fez ao meu pai como sendo ele da “elite”.

Vamos lá: eu respeito e admiro muito a Marina pela sua trajetória de vida, pelo esforço pessoal com que venceu todas as dificuldades impostas a ela, como o analfabetismo, doenças e toda espécie de discriminação; até pelo modo com que consegue envolver a todos com seu discurso ecologicamente correto e bem acabado.

Mas, pra mim isso não basta pra governar um Brasil como o de hoje; tenho muitas dúvidas, e de todos os tipos. Marina pra mim ainda é um enorme ponto de interrogação. Pra começar: desistiu do PT (segundo ela, utopia do passado) quando poderia ter resistido como fazem hoje tantos PTistas históricos mesmo não tendo o mesmo espaço que a “elite” que tenta dominar o partido; não resistiu à pressão enquanto ministra; quem me garante que vai resistir às pressões ainda mais fortes se eleita presidente?

Com tantas concessões feitas pela cúpula do PSB (aliás, todas as concessões possíveis) penso eu: o que será que tramam as cabeças pensantes desse partido caso consigam eleger Marina? Terá ela realmente liberdade pra governar? Não sei…  como será esse mandato em “rede”, apenas com os melhores? Quem são esses “melhores”; e quais os critérios serão utilizados pra escolha desses “melhores”? Minhas dúvidas são pra Marina; mas minhas esperanças são pra companheira Dilma. Que ela consiga, se eleita, continuar melhorando o Brasil, com uma política que tem, de fato, problemas, mas que não admite dúvidas.

Ah, quanto ao fato do Chico ser da “elite”, considero que foi apenas uma infeliz comparação, nem precisa de todo esse mimimi.



No artigo

1 comment

  1. alan kevedo Responder

    POLÍTICA E RELIGIÃO DE MÃOS DADAS? Não é somente a excelente candidata à presidência Luciana Genro que acha inadequado, não, nós também. E mais, pensamos que religião, com os nossos Poderes de Estado em mãos de fundamentalistas bíblicos, principalmente essa modalidade que se pratica em terras brasileiras, nascida no caldeirão religioso norte-americano da mente de Charles Fox Parham, ex-preso, seria um desastre de proporções que aqui, na América, só encontraria paralelo no apagão sofrido pelo Paraguaio ao perder aquela guerra, mal explicada até hoje, pra gente. E na Europa, também no apagão que sofreu o Portugal de Vasco da Gama e nunca mais pôde “Tordesilhar ” o mundo, por causa das perseguições de fundamentalistas bíblicos a grandes professores portugueses pelo simples motivo de eles serem judeus. O engraçado foi ouvir o Everaldo, não sei se na reposta, na réplica, ou na tréplica, dizer que se orgulha de ser pastor, mas esse não é o ponto. Orgulhar ele pode orgulhar e o adepto da denominação que também se orgulha, tem todo o direito e se quiser vender tudo que tem, para demonstrar uma fé férrea e doar tudo pra igreja, vá em frente, cara, ninguém tem nada com isso, ainda mais aqui, no Brasil, onde vira- mexe, a gente tromba com apóstolos e até um Jesus loiro e de olhos azuis, coisa que nunca existiu, nem lá naquela Palestina que não parou de “pipocar”, até hoje, porque onde há religião, há fundamentalismo, há fanatismo, há perseguição a algum segmento da sociedade. Já foram os ruivos, as bruxas, os árabes. Hoje são os homossexuais. E isso de o Brasil ser uma democracia racial é pura BALELA enquanto houver seitas com pastores pentecostais, como aquele deputado dizendo ser os afrodescendentes “Amaldiçoados pela Biblia”, não viram o recente acontecimento, com o ótimo goleiro do Santos?


x