Gustavo Castañon afasta-se do PSB: Marina Silva, a candidata da mudança, está em liquidação

Não restam dúvidas que Marina é a candidata da mudança. Ela muda sem parar. Essa é sua “Nova Política”, uma mudança nova a cada dia. Não é possível acompanhar a labilidade de seu caráter ou de sua mente.

1093 5

Não restam dúvidas que Marina é a candidata da mudança. Ela muda sem parar. Essa é sua “Nova Política”, uma mudança nova a cada dia. Não é possível acompanhar a labilidade de seu caráter ou de sua mente

Por Gustavo Castañon*, no QTMD?

Há um sentimento de mudança no ar. Doze anos de governo do PT desgastaram o partido na opinião pública. É natural. As contradições inevitáveis do exercício do poder, a relação com um congresso fisiológico, os interesses contrariados, os acordos inerentes à democracia, os escândalos. É mesmo surpreendente que chegue ao cabo desse período ainda como o partido de um quarto dos brasileiros e tendo o voto de metade deles.

Nesse cenário, surge a candidatura de Marina Silva, que encarna, sem sombra de dúvidas, a mudança, como provarei com os links abaixo. A começar pela mudança do cenário eleitoral. Depois de um suspeito desastre de avião (que alguns acreditam se tratar de assassinato), Marina assumiu o lugar de Eduardo Campos como a candidata do PSB à presidência.

O compromisso de Marina com a mudança não é recente. Ele já se deixava sentir quando ela mudou de religião há poucos anos, abandonando o catolicismo de opção pelos pobres e abraçando o fundamentalismo da Assembleia de Deus, que tem entre seus quadros Silas Malafaia e Marcos Feliciano, e acredita que discursos inflamados e emissões vocais desordenadas são manifestações do próprio Espírito de Deus.

Depois Marina mais uma vez mudou quando saiu do PT por ter sido preterida na disputa interna do partido pela candidatura à presidência. Desde então ela iniciou um processo de mudança de crenças políticas que a tornou uma opção para os grandes meios de comunicação, os bancos e a classe média alta.

Primeiro mudou-se para o PV, ganhou apoio do Itaú, finalmente concorreu à presidência, perdeu, mas não desanimou. Tentou mudar o então partido assumindo-lhe o controle, mas como não conseguiu, mudou de novo e tentou criar a Rede. Também não conseguiu apoio suficiente para criar um novo partido,e então mudou-se, de novo, para o PSB.

A ecologista aproveitou a mudança e mudou-se para um apartamento em São Paulo, de um fazendeiro do DEM.

Num golpe de sorte, também mudou de ideia na última hora e não embarcou com Eduardo no jato que o matou. Logo depois da tragédia, Marina mudou do papel de vice para o de viúva, declarando ter sido consolada da morte de Campos pela própria esposa dele. Com a má repercussão da declaração, ela mudou de postura e apareceu sorridente em seu velório posando para fotos ao lado de seu caixão.

E a mudança não parou mais. Mudou o CNPJ da campanha para não ser responsabilizada pelas irregularidades do jato fantasma de sua campanha nem indenizar as famílias atingidas pela tragédia. A pacifista mudou seu compromisso da “Rede” que proibia os candidatos pela legenda de receber doações de indústrias de agrotóxicos, de armas e de bebidas, e compôs chapa com o deputado federal Beto Albuquerque, político integrante da “bancada da bala”, financiada pela indústria bélica. Ele também é financiado por fabricantes de bebidas e agrotóxicos.

E mais mudança veio com um programa de governo que contrariava toda a sua história.

Prometeu ao Brasil a volta da gestão econômica do PSDB. Mudou a sua posição contrária à independência do Banco Central para garantir o apoio dos bancos brasileiros.

Mais do que isso, prometeu mudar a legislação trabalhista promovendo a terceirização em massa, e prometeu acabar com a obrigatoriedade de função social de parte do crédito bancário,enterrando o crédito imobiliário. Mas isso não era mudança suficiente. Depois de quatro tuítes de Silas Malafaia  mudou a mudança do programa e se declarou contra o casamento gay.

Depois de um editorial do Globo, também mudou a sua posição sobre o pré-sal, que prometera abandonar, e depois, mudou a posição sobre a energia nuclear. Depois de uma vida de batalha contra os transgênicos, Marina, pressionada pelo agronegócio, também mudou e afirmou que sua posição histórica era uma “lenda”.

Mudou também sobre a transparência política. O ministro Palocci caiu por não revelar os nomes das empresas que contrataram seus serviços antes do governo. Mas ela, hoje candidata, se nega a dizer a origem de 1.6 milhões de seus rendimentos, e declarou um patrimônio de somente 135 mil reais ao TSE. Uma senadora da República.

Finalmente, na semana passada, Marina mudou sua opinião sobre a tortura, que antes considerava crime imprescritível, e passou a ser contrária a revisão da lei de anistia.

Dois dias depois, ganhou o apoio do Clube Militar. Marina muda tanto que acabou por declarar seu programa de governo todo em processo de revisão. Isso é realmente novo na política. Ela é a primeira candidata da história do Brasil que descumpre seu programa de governo antes de chegar ao poder.

Por tudo isso, não restam dúvidas que Marina é a candidata da mudança. Ela muda sem parar. Essa é sua “Nova Política”, uma mudança nova a cada dia. Não é possível acompanhar a labilidade de seu caráter ou de sua mente. Ou ela mente. Não importa. O que importa é que Marina representa a mudança, a mudança de um Brasil aberto e tolerante para um Brasil refém da intolerância fundamentalista, de um Brasil voltado para sanar sua dívida com seu povo pobre para um Brasil escravo de seus bancos, de um Brasil democrático para um Brasil mergulhado em crise institucional.

Por isso eu mudei também. Entrego essa semana meu pedido de desfiliação do PSB e cerro fileiras contra essa terrível mudança que ameaça nosso país. Não é possível submeter o Brasil a essa catástrofe. Marina Silva é uma alma em liquidação. Por um bom acordo eleitoral vende qualquer convicção. Mas aproveitem logo. Essa promoção é por tempo limitado.

(*) Gustavo Castañon é filiado ao PSB desde 2001. Doutor em Psicologia e professor de Filosofia na Universidade Federal de Juiz de Fora.

Foto de capa: Dani Barcellos/MSilva Online



No artigo

5 comments

  1. HERBERT FERNANDES ARAUJO Responder

    Boa tarde canditada Marina Silva, o Fator Previdenciário é uma ferida profunda nos aposentados. Desde que foi implantado pelo governo de Fernando Henrique não teve nenhum governo que acabou com esta injustica contra os aposentados.
    Parece que ninguem do governo , tem aposentados. é claro que a aposentadoria dos governantes não é pelo IAPAS que tira 30% de todos os aposentados que ganham acima de 2 salários. e que esta fazendo que todos ganham com o tempo 1 salario.
    Peço que a Senhora se quiser ganhar com folga as eleições acabe com este famigerado FATOR PREVIDENCIARIO. e devolva o que esta sendo retirado durante todos estes anos de nós aposentados.
    Se a Sra não sabe muitos de nós sustentamos nossas familias com este salario que não dá nem para comprar remedios e muito menos viajar depois de muitos anos de trabalho que nos resta é apenas esperar que algum governante tenha a sensibilidade de devolver o que é nosso por direito.
    HERBERT FERNANDES ARAUJO

  2. jorge luiz silveira corrêa Responder

    ENTREI NO SITE DE VOCÊS COM UM OBJETIVO:
    AO ABRIR A BÍBLIA À PROCURA DA DEFINIÇÃO DE FÉ QUE ESTÁ NO LIVRO DE HEBREUS 11:1 EXERCEMOS A FÉ BÍBLICA…OU SEJA…TRANSCENDE DO IMPOSSÍVEL PARA O POSSÍVEL…O ABSTRATO TORNA-SE CONCRETO PELO TOQUE…ASSIM COMO FOI DADO PELA AQUELA MULHER COM FLUXO DE SANGUE…QUE ESTÁ NO LIVRO DE LUCAS CAPÍTULO 8, VERSÍCULO 46….E disse Jesus: Alguém me tocou, porque bem conheci que de mim saiu virtude.

    Lucas 8:46…

    1. Alchimist da Silva Responder

      Em primeiro lugar, grafar na Internet em caixa alta significa gritar, pressuposto de falta de educação. Mas gritar em seus cultos, é o que mais fazem os fundamentalistas, talvez pensem que Deus é surdo ou tapa os ouvidos para suas bobagens. Em segundo lugar, o que você escreveu não passa se um amontoado de frases desconexas, sem sentido, bobagens bíblicas.

  3. joaquina Responder

    Qualquer pessoa não dominada pelo fanatismo, com capacidade de pensamento crítico e interessada em ouvir outros pensadores, percebe que a análise feita pelo professor está muito bem feita e merece ser relida e comentada com os amigos. Já as pessoas que tomam uma posição precipitada, sem nenhuma análise profunda, dominada pela cegueira, certamente não vão valorizar a análise comentada. Obrigada, Catañon, por se preocupar em socializar sua análise. É assim que se faz política. É assim que se combate a politicagem de quem negocia principios pela sede de ocupação do poder.

  4. CHIARA Responder

    BOM DIA. DESABAFO DE QUEM NÃO ANDA SE INFORMANDO SOBRE A REALIDADE DOS FATOS. DESABAFA COM MUITA PAIXÃO! NAO SE SABE PQ. MAS BASEADO NOS FATOS REAIS, NAO. COM CERTEZA NAO. SE O ESCRITOR SEQUER RELATA A VERDADE ACERCA DO SORRISO DA MARINA NO VELORIO DO CAMPOS, O QUE DIZER DO RESTO DAS SUAS CONSIDERAÇÕES?!!!! SÓ UM DESINFORMADO QUE ACREDITA NESSE RELATO. PESQUISAR MAIS, POR FAVOR, A REALIDADE DOS FATOS!!!


x