RS: Vereadora que só teve o próprio voto assume vaga na Câmara

Sétima colocada na lista de suplentes, Veridiana quer conciliar trabalho como secretária em um consultório odontológico com as sessões da Câmara de Coronel Vilar

446 0

Sétima colocada na lista de suplentes, Veridiana quer conciliar trabalho como secretária em um consultório odontológico com as sessões da Câmara de Coronel Vilar

Por Redação

Veridiana Bassoto Pasini é secretária de um consultório odontológico da pequena cidade de Coronel Pilar, com 1,7 mil habitantes, no interior do Rio Grande do Sul. Em 2012, ela concorreu a uma vaga para vereadora pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e se surpreendeu ao saber que só havia recebido um voto. Luciano Contini (PMDB) foi eleito para o posto e recentemente se afastou por motivos de saúde. Com isso, assumiu Iraci Moresco Zanatta, que também precisou deixar o cargo. Nenhum dos outros suplentes pôde assumir e a vaga sobrou para Veridiana, que ocupava a sétima posição na lista.

“Só tive o meu voto, e como estávamos apoiando um outro candidato, meu marido votou nele, que é sobrinho nosso e tinha mais chances de ganhar”, contou a nova vereadora à imprensa, dizendo que optou por não fazer muita campanha nesta primeira experiência concorrendo a um cargo eletivo mas que a repercussão do caso pode ser positiva. “Todo mundo disse que essa exposição toda pode me ajudar em uma nova eleição”, comentou. Ela afirmou que pretende conciliar o emprego de secretária com as sessões da Câmara Municipal, que geralmente ocorrem à noite, e vai usar o fato para chamar a atenção para a importância que um único voto pode ter nas eleições.

Foto de capa: Câmara Municipal de Coronel Pilar / Divulgação



No artigo

x