Pesquisa Ibope: Dilma abre oito pontos sobre Marina

Candidata do PT sobe 2 pontos e tem agora 39%, enquanto a pessebista oscila de 33% para 31%. Aécio permanece com 15% das intenções de voto

385 0

Candidata do PT sobe 2 pontos e tem agora 39%, enquanto a pessebista oscila de 33% para 31%. Aécio permanece com 15% das intenções de voto

Por Redação

Pesquisa do Ibope sobre a disputa presidencial divulgada na manhã desta sexta-feira (12) mostra que a diferença entre a candidata do PT Dilma Rousseff para a segunda colocada Marina Silva (PSB) subiu de 4 para 8 pontos. A presidenta tem 39% das intenções de voto, 2% a mais que no último levantamento, divulgado no dia 3, e a ex-senadora conta agora com 31%, 2% a menos. Aécio Neves (PSDB) aparece no mesmo patamar da sondagem anterior, com 15%. Os outros candidatos somam 2%, os votos brancos e nulos são 8% e indecisos, 5%.

Realizada entre os últimos dias 5 e 8, a pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que em um segundo turno entre as duas candidatas haveria empate técnico, com Marina tendo 43% das intenções de voto e Dilma, 42%.

Entre as intenções de voto espontâneas, quando não é apresentada ao entrevistado a lista com os nomes dos presidenciáveis, a petista tem 12 pontos de dianteira sobre a pessebista. Dilma Rousseff (PT) tem 35%, Marina Silva (PSB) conta com 23% e Aécio Neves (PSDB) aparece com 12%.

Avaliação do governo e rejeição

A sondagem do Ibope aponta que o governo da presidenta Dilma tem 38% de avaliação “ótimo/bom” dos entrevistados, 2% a mais do que no último levantamento. O percentual de entrevistados que consideraram o governo “ruim” ou “péssimo” é de 28% e o índice de “regular” é de 33%.

Os três principais candidatos apresentaram crescimento em termos de rejeição, com a candidata do PT à frente, com 42%, 7% a mais do que na última sondagem. A rejeição a Aécio Neves quase dobrou em comparação ao último levantamento, passando de 18% para 35% e o percentual de entrevistados que diz não votar em Marina Silva passou de 12% para 26%.

O instituto ouviu 2.002 pessoas em 144 municípios e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.



No artigo

x