Aécio Neves promete endurecer relações com países produtores de drogas

O presidenciável tucano apontou como alvo principal a Bolívia, mas não mencionou países europeus ou estados norte-americanos onde o cultivo de maconha, por exemplo, é legalizado

775 4

O presidenciável tucano apontou como alvo principal a Bolívia, mas não mencionou países europeus ou estados norte-americanos onde o cultivo de maconha, por exemplo, é legalizado

Por Redação

O candidato à presidência da República Aécio Neves (PSDB) afirmou nesta quarta-feira (17), em encontro com mulheres no diretório estadual peessedebista na capital paulista, que irá rever as relações diplomáticas com países produtores de droga, destacando principalmente a Bolívia.

“Nós sabemos que as drogas e as armas que matam no Brasil não são produzidas aqui, são produzidas aqui ao lado, tem uma coisa que ninguém tocou ainda que eu estou tocando e no primeiro momento que falei isso as pessoas se surpreenderam, que é a Bolívia. Vamos por o dedo na ferida”, afirmou o tucano, frisando que o país de Evo Morales produz hoje quatro vezes mais cocaína do que consome. “E produzem com a complacência, conveniência e vistas grossas do governo de lá.”

Para o candidato, se faz necessário nesse momento tratar segurança pública com um plano mais amplo, controlando mais efetivamente as fronteiras, assim como passar a ter uma relação diferenciada com os países produtores de droga. “No meu governo só vai haver relação com esses países quando eles tiverem a responsabilidade de inibir o cultivo, seja da matéria prima, da maconha ou da própria droga. Chega de fazermos vistas grossas”, afirmou Aécio.

No encontro, o tucano chegou a citar também a Colômbia e o Paraguai como parte da estratégia dessa reavaliação diplomática, porém, não comentou como será o relacionamento – seguindo sua lógica – com países como Holanda, Espanha e até mesmo os EUA, onde alguns estados  (Washington, Colorado e Califórnia)  permitem a produção, o cultivo em clubes ou o consumo com restrições de maconha. Outros países como Canadá e Israel, também têm programas legais para o cultivo de maconha medicinal, apesar de não permitirem o cultivo da erva para uso recreativo.

Todavia, a ausência mais notória na fala de Aécio Neves foi o Uruguai. Talvez pelo fato de, ao se tornar o primeiro país no mundo em que o Estado controla a venda ao consumidor, o vizinho sul-americano tenha conseguido zerar as mortes ligadas ao uso e o comércio de drogas.

Foto de Capa: WikiCommons



No artigo

4 comments

  1. CESAR MIRANDA Responder

    Quem diria hein??? Cheirem o que quiserem, mas não cheirem o que eu cheiro!!!! Afinal coca é coisa de rico, pobre tem que se contentar com PEPSI…

  2. enganado Responder

    O machão só fala na Bolívia, gostaria que falasse com a mesma arrogância na Colômbia, pois lá estão os senhores de candidatura: EUA/iSSrael. Lógico que o Evo Morales como reza na cartilha do PSDB/AIPAC/CIA/NSA/MOSSAD/banca anglo sionista/imprensa-empresa-press_tituta- anglo sionista logo não dar prensa na Colômbia. Se começar a falar em Colômbia não dá para para, como exemplo (só p/quem sabe): Kfir (sucateado), empresas de petróleo nas mãos dos EUA/iSSrael/bases militares EUA/assessores militares EUA/iSSrael/crianças defeituosas (câncer- … devido ao desfolhante laranja …EUA). Aliás o Aébrio está construindo Linhas de Transmissão na Colômbia, via CEMIG, … . Então este perdedor deveria enfiar o rabo entre as pernas e ficar calado, seu covarde. PETROBRA(X), hein seu malandro de uma figa. Não dá para continuar, não tenho estômago para disfarçado cidadão norte-americano. Quem gosta de você é o GAFE-Rede Bunderantes/Bancos/FIESP/ …. sacana, mentiroso, disfarçado, covarde ….

  3. Carlos Responder

    Tudo que ele falou é verdade, Bolívia é uma vergonha, sobrevivem das drogas que transformara o Brasil em um genocídio, vão legalizar a Cocaína? E depois o Crack? E depois oque aparecer?

  4. José Carlos Vieira Filho Responder

    Há drogas e drogas. Por exemplo: a mídia comercial é uma droga extremamente nociva ao viciar as vítimas em consumo desordenado de porcarias, certos partidos políticos induzem incautos a uma dependência cultural exótica e extremamente tóxica.
    Ora,o playboy é parte integrante dos dois produtores de drogas citados, ambos brasileiros, e, então, estaremos na situação do Brasil rever as relações diplomáticas com o Brasil.


x