Carlos Cachoeira derrubou Patrícia Poeta da bancada do Jornal Nacional?

Oficialmente, a Rede Globo anunciou que Patrícia Poeta deixa bancada do jornalístico para apresentar outro programa; paralelamente, a aquisição milionária de um apartamento em Ipanema pode ser, de fato,o motivo de sua queda.

9096 18

Oficialmente, a Rede Globo anunciou que Patrícia Poeta deixa bancada do jornalístico para apresentar outro programa; paralelamente, a aquisição milionária de um apartamento em Ipanema pode ser, de fato,o motivo de sua queda

Por Redação

No início desta semana, uma notícia tomou conta dos meios de comunicação voltados para o entretenimento: o anúncio da saída da jornalista Patrícia Poeta da bancada do Jornal Nacional. A versão oficial é que a apresentadora deixa o programa para apresentar um quadro matutino em 2015 e que, desde que foi deslocada para o JN, sabia que ficaria por apenas três anos.

Porém, o que de fato pode ter derrubado Patrícia Poeta foi a compra de um apartamento no bairro de Ipanema, avaliado em R$ 23 milhões. Até aí, problema nenhum. Mas, logo depois que a aquisição feita pela jornalista e seu marido, Amauri Soares (diretor de programação da Globo), foi divulgada, descobriu-se que o dono do imóvel era o empresário Georges Sadala, citado nas investigações a respeito dos negócios do bicheiro Carlos Cachoeira.

A notícia de que o apartamento era de um aliado de Carlinhos Cachoeira não foi bem recebida pela cúpula da Rede Globo e muito menos por William Bonner e Ali Kamel, diretor de jornalismo da Globo. Segundo informações do colunista de TV do jornal Folha de São Paulo, Ricardo Feltrin, Kamel e Soares (companheiro de Poeta) vivem em constante embate.

De acordo com artigo do portal BlueBlus, William Bonner nunca digeriu “o fato de ter que aceitar Poeta como colega de bancada, em 2011, no lugar de Fátima Bernardes”. A compra do apartamento, a revelação de que o dono do imóvel teria relação com Cachoeira e a queda da apresentadora possui uma distância de nove dias.

Frente a isso, a tese de que Patrícia Poeta vai apresentar um programa de entretenimento em 2015 perde força e outras informações do colunista da Folha dão conta de que ela deve permanecer na geladeira até a história da compra do apartamento esfriar.

Relembre

Em 8 de setembro, o blog Maria Frô já havia alertado para a aquisição do imóvel milionário por parte da apresentadora global e a relação controversa de Sadala, proprietário do apartamento, com nomes como o do bicheiro Carlinhos Cachoeira e dos políticos Sérgio Cabral, Aécio Neves e José Roberto Arruda (leia aqui).



No artigo

18 comments

  1. Gerson Carneiro Responder

    Renato Rovai, vamos pro IPVA?

  2. cleo Responder

    Patricia é ótima profissional, qual o problema dela comprar um apartamento que estava a venda de um cara que tem problemas? O dinheiro é dela….porque ela tem que ser penalizado com seu trabalho que esta muito bem feito. QUE FEIO PARA A GLOBO ISSO!!!

  3. Hélder Peixoto Responder

    Que grande bobagem! Imprensa marron a gente conhece de longe. O que acontece é o ciúme desses falsos e incompetentes jornalistas em relação à Patricia que, além de excelente e verdadeira profissional da comunicação é, além de linda, Poeta!

  4. Jr Responder

    Até agora não entendi, o dinheiro dela é sujo? Ou ela não pode ter dinheiro? Porque o fato do dono ser amigo do Cachoeira não diz nada.
    O povinho maldoso. Por isto temos políticos desta qualidade. Pura inveja!!!!!!!

  5. Jr Responder

    Até agora não entendi, o dinheiro dela é sujo? Ou ela não pode ter dinheiro? Porque o fato do dono ser amigo do Cachoeira não diz nada.
    O povinho maldoso. Por isto temos políticos desta qualidade. Pura inveja!!!!!!!

  6. levemente Responder

    É impressão minha ou o site em que está hospedada esta notícia, sobre o apartamento novo da apresentadora, apresenta este fato da sua compra como prova robusta da ocorrência de ilícito? Se não, a forma como a reportagem está exposta leva a dúvidas da parte de seus leitores. Pelo comentários, repara-se que alguns estão convencidos de que Patrícia Poeta faz do crime meio de vida. Para quê provas, devido processo legal etc.? Desnecessários tais melindres do estado democrático de direito, quando se quer assassinar uma reputação. Da mesma forma faz a revista VEJA ao expôr nomes em sua “reportagem” sobre o recente escândalo da Petrobras. Há que se ter certos cuidados para não cair na vala em que se quedaram, putrefatos, certos veículos jornalísticos, hoje carecedores de credibilidade – sim, falo da revista VEJA.

  7. mergulho dias Responder

    A coisa é tão nojenta que vazou por todos os poros. Padrão Globo de qualidade. Único apresentador de telejornais apresentável, sério é Ricardo Boechat. O resto são atores! Willian parece dono da verdade” – as emissoras não tiveram timing para renovar e reciclar este pessoal! Quem suporta uma Leilane Neubarth? Só a Globo!

    1. Adriana Responder

      Concordo com vc Dias!! Suas palavras sao as minhas…

    2. Paulo Souza Responder

      Concordo plenamente com você, Dias.

    3. Isaías dos Santos Responder

      Não sei não, este jornalista foi citado no livro “Operação Banqueiro como envolvido na divulgação de mentiras plantadas pelo Daniel Dantas contra um de seus desafetos. Confesso que não boto fé em nenhum angora de TVs abertas, a maioria recebe propina para fazer meio campo para interesses ocultos…

  8. Elaine de Campos Responder

    Pois é Dias, tbm faço das suas palavras as minhas…

  9. claudia Responder

    Eu só observo…..

    Entretanto,penso que somente a receita federal poderá discutir esse assunto.

  10. marcio viola Responder

    Que conversinha fiada. O simples fato de que o vendedor fora alguém “citado” em alguma investigação em nada inviabiliza a transação imobiliária desde que não se saiba de antemão que havia alguma irregularidade no imóvel. Em nenhum momento a “reportagem” fez menção a algo do gênero. Assim, devemos concluir que o negócio foi lícito e, portanto, considerado juridicamente legal. Quanto aos questionamentos morais, são extremamente subjetivos, contudo, devemos entender que não há imoralidade em se adquirir um imóvel que esteja à venda, seja de quem for. Se o Fernandinho Beiramar tiver uma propriedade lícita e desempedida e quiser vender não haverá problema algum em comprá-la, desde que a origem do dinheiro também o seja. Ora, antes de comprarmos algum imóvel devemos pesquisar somente aquilo que impossibilite a negociação e não se o vendedor é alguém citado ou não em algum inquérito. Mesmo porque a simples citação não avilta ninguém, dado o princípio da presunção de inocência. Não gosto da manipulação exercida pela Globo, mas também não me sinto à vontade com notícias especulativas e apócrifas. Sejamos críticos ao recebermos a informação.

  11. Monaliza Martins Santos Responder

    Esta tudo muito legal ,só quem paga o pato deste grande mundo são os” peixes pequenos” a jornalista Poeta sairá do seu cargo de apresentadora e seu marido que direito ele está deixando o cargo dele ? Porque até agora não estou vendo nada referente a pessoa dele pois os dois comprou juntos o tal apartamento.

  12. Tadeu Maciel Responder

    Minha parte eu quero em dinheiro kkkkkkk. Que eu lá quero saber de Apto da Patrícia Poeta, quero lá saber sargentāo da nossa presidente. Vão tudo pra PQP.

  13. Almeida Responder

    Manda ela vir morar comigo no meu barraco! Estou precisando de alguem para dividir as despesas!!!!

  14. SS Responder

    Já que a PRESIDENTA conseguiu a reeleição, caberia propor que passe a adotar, por extensão, os seguintes vocábulos: TENENTA; ESTUDANTA; TRANSEUNTA; COMANDANTA; GERENTA; MELIANTA (!); e, para que os homens não sejam excluídos, ASCENSORISTO também, porque não?

    SS
    Sergio Silva

  15. Alexandre Responder

    Agora deu mesmo como pode, agora você não pode comprar nada que foi de alguém que não é de bom caráter ,mais se deixar o governo pega e cobra impostos normalmente.


x