“A comunicação não pode ser objeto de monopólio”, diz Dilma a blogueiros

Presidenta concedeu entrevista na tarde desta sexta (26), com transmissão ao vivo pela internet

813 7

Em entrevista, a presidenta afirmou que vai trabalhar, em um eventual segundo mandato, pela regulamentação econômica dos meios de comunicação 

Por Marcelo Hailer

A presidenta da República e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), foi entrevistada na tarde desta sexta-feira (26), pelos blogueiros Renato Rovai (Revista Fórum e Blog do Rovai), Conceição Oliveira (Blog Maria Frô), Kiko Nogueira (Diário do Centro do Mundo), Eduardo Guimarães (Blog da Cidadania), Conceição Lemes (Viomundo), Miguel do Rosário (Cafezinho), Paulo Moreira Leite (247) e Altamiro Borges (Blog do Miro). Direto do Palácio do Alvorada, cerca de 600 mil internautas acompanharam a transmissão pela internet, segundo o site Muda Mais.

O primeiro tema a ser abordado na entrevista foi a questão da regulamentação dos meios de comunicação. Altamiro Borges questionou o porquê do governo Dilma ter feito tão pouco nesta área. Dilma Rousseff  citou a Constituição, cujo parágrafo quinto do capítulo 220, determina que “os meios de comunicação social não podem, direta ou indiretamente, ser objeto de monopólio ou oligopólio”. “Em qualquer setor onde haja concentração de propriedade, cabe a regulação. Acredito que a regulação tem uma base, que é a base econômica, a concentração de poder econômico dificilmente leva a relações democráticas”, disse a presidenta. “No Brasil tenta se confundir o controle de conteúdo com o econômico. Uma coisa não tem nada a ver com a outra: controlar conteúdo é coisa de país ditatorial”, completou.

Posteriormente, Conceição Lemes abordou a questão da saúde, em especial a integração dos sistemas público e privado. “A Constituição fala da capacidade do Brasil de viver com dois sistemas: privado e público e isso vai acontecer de modo mais claro. O SUS é a nossa maior conquista: gratuito e de qualidade. Nós podemos ter um SUS e temos de dar a ele mais qualidade. Não se faz isso sem recursos”, analisou Dilma

Segundo a  blogueira, o candidato ao Senado José Serra (PSDB-SP) tem dito que o governo Dilma “cortou gastos com a saúde”. Dilma respondeu: “Acho engraçado o Serra falar isso: o partido dele aprovou a queda da CPMF, que significava 40 bilhões para saúde. Em 2007, foram quase 270 bilhões que a saúde perdeu. Mas nós aumentamos em 70% o investimento. Não pode se negar dois problemas: o do setor privado, que precisa de uma melhor regulação, e de uma melhoria do serviço público e discutir a relação do SUS com o setor privado”, disse.

O editor da revista Fórum Renato Rovai abordou a questão da violência policial, principalmente, no que diz respeito à atuação da Polícia Militar nas periferias do Brasil. Ele perguntou se a presidenta estaria disposta a bancar um novo marco para a segurança pública. “Eu sei o que é perfeitamente essa violência. Hoje a principal pauta do movimento negro é a luta contra a violência que mata a juventude negra e a estatística é clara sobre quem morre: negros e jovens da periferia. Eu assumi o compromisso contra ao auto de resistência, que legaliza esse processo. Vamos colocar o peso do governo nos auto de resistência, pois, o que se verifica, é que na grande maioria dos casos é (auto de resistência) pra encobrir o verdadeiro assassinato”, criticou a presidenta.

O jornalista Paulo Moreira Leite abordou a questão da população carcerária. Para Dilma, é necessária uma política nacional sobre presídios. “Essa é uma questão que o governo vai se meter. A política de cárcere do Brasil é cega, nem certa, nem errada, ela não sabe para onde vai. Os presídios viraram território do crime organizado”.  Segundo Dilma, é preciso separar o cidadão que cometeu pequenos delitos e que espera julgamento em cárcere. Ela defende que essas pessoas sejam inseridas no Pronatec. ” Temos que focar nessa pessoa, temos que ter ligeireza e focar nos direitos humanos”, defendeu.

Posteriormente, a presidenta foi questionada por Kiko Nogueira sobre o seu discurso na 69ª Assembleia Geral da ONU e a respeito das críticas que fez aos ataques norte-americanos e de que estes não resolvem questão alguma. “Tem uma deliberada tentativa de confundir uma coisa com a outra. O Conselho de Segurança da ONU não aprovou os bombardeios dos EUA na Síria. Aprovaram que o recrutamento de terroristas em territórios estrangeiros fosse considerado crime, jamais aprovaram e deram sanção ao bombardeio, ao contrário, não estão autorizando”, criticou.

Dilma Rousseff falou ainda sobre a Petrobras, lembrando que se trata da sexta maior empresa do mundo. “Ninguém desmonta uma empresa que é a sexta do mundo e não desmontarão”, defendeu. De acordo com ela, por trás dos ataques à empresa estão interesses dos que pretendem mudar o sistema de exploração para beneficiar empresas estrangeiras.

(Foto Capa: Divulgação/PT)



No artigo

7 comments

  1. JOCÊ Responder

    Como nossa presidente é obtusa. Sua crítica aos bombardeios norte americanos na Síria – bombardeios que todos sabem, foram em cima dos malucos do Estado Islâmico – é apenas para criticar por criticar os EUA. Eu queria ver se aqueles malucos, que não observam nenhuma mínima regra de civilazação, estivessem degolando e estuprando gente nossa, se ela teria esse mesmo pensamento. Mas não adianta nada mesmo. Todos sabemos que essa corja esquerdista que vem roubando o Brasil há doze anos, gosta mesmo é de apoiar regimes totalitários e falidos como Cuba e Venezuela. Agora, defender esses malucos do Estado Islâmico apenas para ficar contra os EUA já é demais.
    Eu tenho vergonha de dizer que a tenho como presidente do meu país.

  2. Roberto Responder

    Tudo bem,ela falou sobre os meios de comunicação e tal,mas não deixou claro o porque de aceitar o governo ser tão bombardeado por esses meios,não ter direito de resposta , não aparecer nenhuma matéria fazendo uma boa cobertura sobre algumas obras de grande porte que o governo está realizando em várias partes do Brasil (isto não quer dizer fazer propaganda do governo e sim informar a população) O Brasil inteiro não conhecia as obras do governo até começar o horário eleitoral…

  3. Marco Rodrigues Responder

    Só blogueiro chapa branca. Piada!

  4. Euler Responder

    No Jornal Nacional de hoje, a Globo disse que a presidenta “não fez campanha” hoje e apenas deu entrevista para “blogueiros ligados ao PT”. Muita cara de pau desta Globo, que continua em plena campanha anti-Dilma e anti-PT. Precisavam ver como foi a cobertura “jornalística” (aspas) dos três candidatos. Primeiro a Globo falou sobre a contradição entre o baixo crescimento econômico e o pleno emprego, finalizando com a opinião de um economista que ameaçou: se o país não voltar a crescer o desemprego aumentará.

    Na sequência, a Globo focalizou a campanha de Aécio, sempre rodeado de muita gente e sorridente, falando adivinhem sobre o quê? Claro, sobre como ele fará o Brasil retomar o crescimento econômico, gerando mais empregos, e blá, blá, blá. Conversa oca, mas ligada à reportagem anterior da Globo. Uma clara campanha eleitoral em favor do candidato tucano.

    Já Marina também foi focalizada nos melhores momentos: rodeada por apoiadores, com a fala decorada de costume, aquela retrato de pureza moral e ética que só os bestas acreditam.

    Já Dilma, claro, foi focalizada nos piores momentos. O cinegrafista apresentou a presidenta isolada, andando sem ninguém ao seu redor, e depois falando com gestos e palavras que não diziam nada, descompassados.

    O que a Globo faz contra Dilma é criminoso e mereceria uma denúncia formal nacional e mundial. Nós, brasileiros, especialmente os de baixo, não podemos continar aceitando isso.

    Dá vontade de ir no estúdio da Globo e colocar fogo naquele prédio. Claro que se trata de uma expressão de indignação apenas, da minha parte, e jamais faria isso, mesmo contra uma emissora que conspira dia e noite contra o povo brasileiro. Vamos derrotá-la nas urnas. Mas, que é revoltante é.

    Que a presidenta Dilma, Lula e o PT aprendam a lição sobre o papel dos meios de comunicação no Brasil. Eles, nas mãos de uma máfia midiática, estão matando o nosso povo, as nossas conquistas, os nossos sonhos.

    Viva o povo brasileiro! Apesar das manipulações midiáticas, vamos derrotar mais uma vez a direita golpista. Nas urnas e nas ruas, quando necessário.

    1. Marco Rodrigues Responder

      Me responda qual destes blogueiros não é chapa branca?

      1. Euler Responder

        Só se você me responder qual jornalista ou editor ou apresentador da mídia golpista (Globo, Band, Folha, Estadão, Rádio Itatiaia, etc.) não é tucano de carteirinha.

  5. Miguel Pio Responder

    É a mesma conversa fraudulenta de sempre. Dizendo que verdade é mentira e mentira é a verdade. A grande maioria dos eleitores desta senhora é analfabeta e não acompanha o festival de roubalheiras à Nação.
    E tem a parcela dos cínicos, que sabem muito bem o que está acontecendo, mas de alguma forma estão levando vantagem e estão se lixando para o País.
    Quanto aos blogueiros convidados, não os conheço, mas os mais conhecidos, os mais lidos do País não estavam. Hum! Porque será?


x