Burkina Faso: Tenente-coronel Zida é o novo chefe de Estado

Presidente Blaise Compaoré renunciou após quase três décadas de governo, sob pressão de violentos protestos nas ruas contra sua tentativa de permanecer por mais tempo no cargo.

330 0

Presidente Blaise Compaoré renunciou após quase três décadas de governo, sob pressão de violentos protestos nas ruas contra sua tentativa de permanecer por mais tempo no cargo

Por Redação*

Após a queda do presidente Blaise Compaoré, que fugiu para a Costa do Marfim, o Exército designou neste sábado (1º) o tenente-coronel Isaac Zida para dirigir a transição do país. “A forma e a duração do período de transição serão determinados posteriormente, em um acordo com as autoridades que governam a vida nacional”, afirmou o comunicado divulgado após uma reunião de comandantes do Estado-Maior.

Compaoré renunciou na sexta-feira após 27 anos no poder, sob pressão de violentos protestos nas ruas contra sua tentativa de permanecer no cargo por mais um ano. Na última semana, o país entrou em estado de emergência e teve o Parlamento dissolvido para tentar controlar os manifestantes, que puseram fogo na sede do Legislativo e em edifícios governamentais. Localizado no oeste da África, Burkina Faso se tornou independente da França em 1960.

O país sofreu diversos golpes militares nos anos 1970 e 1980 – um deles, em 1987, permitiu a ascensão ao poder de Compaoré. Ele venceu as quatro eleições realizadas desde então, mas estava impedido de participar das próximas, de acordo com as leis do país.

Burkina Faso é um dos países mais pobres do mundo e ocupa a 181ª posição no ranking de Desenvolvimento Humano da ONU. Analistas acreditam que a renúncia de Compaoré deve repercutir em toda a África, onde diversos chefes de Estado têm tentado ou conseguido prolongar seus mandatos.


* Com informações da BBC Brasil

Foto de capa: Reprodução / YouTube



No artigo

x