A direita que não tem mais vergonha

Eleições de 2014 consolidaram a figura do direitista que se assume como tal, mas posições extremadas buscam trazer à tona fantasmas de um passado sombrio e não contribuem para um debate democrático sadio Por Glauco Faria...

281 2

Eleições de 2014 consolidaram a figura do direitista que se assume como tal, mas posições extremadas buscam trazer à tona fantasmas de um passado sombrio e não contribuem para um debate democrático sadio

Por Glauco Faria e Maíra Streit

Socialites e executivos engravatados caminham lado a lado em manifestações pedindo o impeachment da presidenta. Internautas exaltados vociferam insultos preconceituosos contra nordestinos nas redes sociais. Jovens que nunca viveram o período da repressão exigem do Exército um golpe militar, a exemplo do que ocorreu em 1964, quando teve início uma das páginas mais sangrentas da nossa história.

Esta reportagem faz parte da edição 172 da Revista Fórum Semanal, para assinar e continuar lendo, clique aqui. Contribua com um jornalismo independente. 



No artigo

2 comments

  1. Carlos Responder

    Vergonha eu tenho de ser brasileiro, de ver a juventude brasileira em bailes funks promovidos por assassinos, eu tenho vergonha é dessa sociedade podre que diz que se importa com a sociedade.

    1. Elavi Cunha Responder

      Vai para Miami então, pessoas como vc não fazem falta em nossa nação.


x