Morre, aos 97 anos, o poeta Manoel de Barros

Escritor levava uma vida reclusa ao lado da esposa em Campo Grande (MS); como legado, ficaram livros de poesia, obras infantis e relatos autobiográficos.

462 0

Escritor levava uma vida reclusa ao lado da esposa em Campo Grande (MS); como legado, ficaram livros de poesia, obras infantis e relatos autobiográficos

Por Redação

Nesta quinta-feira (13), morreu, aos 97 anos, o poeta Manoel de Barros. Ele estava internado há duas semanas no Proncor de Campo Grande e, durante esse período, passou por uma cirurgia no intestino. Às 8h de hoje, teve falência múltipla dos órgãos, conforme informações divulgadas pelo hospital. O velório está previsto para esta tarde, na capela do cemitério Parque das Primaveras, na capital sul-matogrossense.

Manoel de Barros nasceu em Cuiabá (MT) e passou a infância na cidade de Corumbá (MS), região do Pantanal. Nos últimos anos, optou por uma vida reclusa em Campo Grande ao lado da esposa. O governador do estado, André Puccinelli, declarou três dias de luto oficial pela morte do poeta.

Como legado, deixou 18 livros de poesia, além de obras infantis e relatos autobiográficos. Recebeu diversos prêmios de literatura; entre eles dois Jabutis: um em 1989, com “O Guardador de Águas” e, outro em 2002, com “O Fazedor do Amanhecer”

Foto de capa: Reprodução/YouTube



No artigo

x