Defensor da “cura gay” se casa. Com um homem

O norte-americano John Smid trabalhou por quase 20 anos junto a um grupo que afirmava ser possível se "curar" da homossexualidade. Ele oficializou na semana passada sua união com o parceiro Larry McQueen

1199 2

O norte-americano John Smid trabalhou por quase 20 anos junto a um grupo que afirmava ser possível se “curar” da homossexualidade. Ele oficializou na semana passada sua união com o parceiro Larry McQueen

Por Redação 

Por 18 anos, o “ex-gay” Jonh Smid considerava a homossexualidade um pecado, incentivava as pessoas a rezarem para que não sentissem atração por outras do mesmo sexo e acreditava que a orientação sexual de alguém poderia mudar, sobretudo na infância. Entre 1990 e 2008, ele foi diretor-executivo do grupo “Love in Action”, que atuava no ramo da “cura gay”.

Três anos depois, Smid assumiu ser homossexual, se divorciou pela segunda vez e, na semana passada, se casou com aquele que é seu parceiro há ano, Larry McQueen.“Eu tinha fé de que algo iria acontecer, mas isso nunca aconteceu. Agora, na minha idade, já não tenho muitos anos restantes, não posso viver mais assim pelo resto da minha vida. Então pensei que não, não estou disposto a continuar empurrando algo que não vai ocorrer”, contou Smid.

Após deixar a Love in Action, além de assumir sua homossexualidade, Smid fundou a organização Grace Rivers, para gays cristãos. De acordo com a Gay Star News, Smid se desculpou repetidamente por seu envolvimento com o grupo e buscou entrar em contato com aqueles que passaram pelos programas da “cura gay”.

Sobre seu casamento, Smid diz que foi conhecendo McQueen aos poucos, “até que chegou um momento em que descobrimos que queríamos conhecer melhor um ao outro por meio de uma relação amorosa […] Encontramos uma compatibilidade que era confortável e emocionante”, contou.

Foto de Capa: Reprodução/Facebook



No artigo

2 comments

  1. Alcântara Responder

    É o que eu disse, quando o cara é inimigo de gays, tem pavor, horror, ódio, aversão ou seja lá o quê mais, é porque ele sabe que é gay mas tem medo de se assumir, e assim dessa forma ele vai tentando repelir essa coisa que está dentro dele querendo sair. Porém, por mais que ele tente nunca conseguirá porque está no seu DNA, na sua genética. Não tem como. O hétero não sente vontade ou atração pelo sexo oposto, nem que esteja coberto de ouro. Porém exitem pessoas com as duas tendencias.

  2. Alessandra Responder

    Não entendo essa necessidade que muitos tem de aceitar ser infeliz para agradar pessoas que na realidade não se importa com a mesma.Amar e respeitar o outro como ele ou ela é. Que bom que tardiamente mas superou seus próprios medos e preconceito. Desejo felicidade <3


x