Governo da China propõe primeiro projeto de lei contra violência doméstica no país

Durante muitas décadas, abusos, que atingem 40% das mulheres, foram marginalizados pelas autoridades chinesas.

1172 0

Durante muitas décadas, abusos, que atingem 40% das mulheres, foram marginalizados pelas autoridades chinesas

Por Opera Mundi

Em iniciativa inédita, o governo da China propôs nesta semana um projeto de lei contra a violência doméstica. Por muito tempo, o assunto era um tabu, classificado como tema privado na cultura chinesa, ressalta a agência de notícias oficial Xinhua.

Nos últimos anos, contudo, os chineses começaram a debater mais sobre a questão, após escândalos como o caso de Kim Lee, esposa norte-americana de um empresário chinês que alegou publicamente que o marido a abusava.

Em meio ao aumento de casos, a legislação vai abranger todas as formas de violência doméstica, incluindo maus-tratos às mulheres, abuso infantil e de idosos.

A Federação Nacional das Mulheres da China emitiu uma declaração de apoio ao texto. “A violência doméstica não é uma disputa familiar, ao contrário, é uma agressão contra os direitos das pessoas e deve ser resolvida com medidas legais”, disse em nota.

De acordo com dados da federação, quase 40% das mulheres chinesas que são casados ou estão em um relacionamento sofreram violência física ou sexual, reportou o jornal China Daily.

Segundo Julia Broussard, gerente do programa da ONU Mulheres na China, a agência das Nações Unidas ficou “emocionada” após mais de uma década de esforços de ativistas contra abusos. No entanto, ela ressalta que tal prática se estende também a relações não familiares.

Foto de capa: Marcos Santos/Agência USP

 



No artigo

x