Em shopping do Rio de Janeiro, é proibido “vadiar” pelas dependências do estabelecimento

Entre as 16 normas de conduta do shopping, estão a proibição de "vadiar sem motivo" pelo estabelecimento e o uso de "roupa que possa provocar distúrbio".

737 1

Entre as 16 normas de conduta do shopping, estão a proibição de “vadiar sem motivo” pelo estabelecimento e o uso de “roupa que possa provocar distúrbio”

Por Redação, com informações de O Globo

(Jéssica Moreira/Reprodução)
(Jéssica Moreira/Reprodução)

O shopping Nova América, em Del Castilho, zona norte do Rio de Janeiro, está causando polêmica com seu conjunto de regras para quem deseja frequentar o estabelecimento. O “Código de Conduta para Clientes” possui 16 normas para circular pela “propriedade privada”, como se lê no início do comunicado. Qualquer um que violar os mandamentos da direção estará sujeito a ser expulso do local, podendo ser detido e até processado por invasão.

Todavia, entre todas as normas para a conduta que se espera dos clientes, algumas chamam mais a atenção, como levar animais – vivos ou mortos; usar “roupa que possa provocar algum tipo [de] distúrbio e, inclusive, “vadiar pelo shopping sem motivo específico”.

De acordo com o portal de O Globo, quem fez a denúncia das polêmicas normas foi a jornalista Jéssica Moreira, que viu o documento no último sábado (29), quando esteve no local e se surpreendeu com as regras: “Acho natural que o estabelecimento queira preservar a ordem em suas dependências, mas as regras não podem ser tão genéricas. O que seria vadiar, no ponto de vista deles?”, questionou Moreira.

Para o vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ, Aderson Bussinger, a medida é preconceituosa: “Essa é uma norma arbitrária. O uso do termo vadiar é absurdo e fere a dignidade das pessoas”, afirmou o advogado, lembrando ainda que seguranças de shopping não têm autoridade policial para deter ninguém.

Em outro item controverso, o texto diz que “é proibido não estar completamente vestido ou usar roupa que possa provocar algum tipo de distúrbio ou envolver outros grupos, ou o público em geral em um conflito aberto”.

Segundo a professora Hildete Pereira de Melo, do departamento de Economia da UFF, o cunho do texto teria caráter sexista ao fazer crer que as roupas podem ser motivo de violência: “Essa redação diz que as roupas podem causar distúrbio, mas que tipo de roupa poderia gerar qualquer distúrbio? […] Em nossa sociedade, a mulher é estimulada a se vestir como objeto de desejo e, quando incorpora esse papel, se torna vítima de violência, passível de punição”.

Em nota, a assessoria de imprensa do Shopping Nova América afirma que o Código de Conduta foi elaborado em 2006 e utiliza termos ‘adequados’ ao período que foi criado. “O empreendimento já estuda a revisão do regulamento devido às mudanças no comportamento da sociedade e à necessidade de atualizar a nomenclatura. As normas são válidas apenas nas dependências do mall e são genéricas, cabendo avaliação de cada caso e análise das circunstâncias do ocorrido. O Nova América reitera que o Código de Conduta tem como objetivo proporcionar um ambiente de conforto e bem estar a todos os visitantes e funcionários, além do bom funcionamento do shopping”, declarou.



No artigo

1 comment

  1. renato Responder

    VAdiar sem motivo, este ´[e um novo meio de vadiar?


x