Jovens explicam como fazer pressão sobre os governantes

Youngo é a organização internacional de jovens em torno do tema das mudanças climáticas reconhecida pelas Nações Unidas e todos podem fazer parte ao se inscrever na lista de discussão e contribuir...

329 0

Youngo é a organização internacional de jovens em torno do tema das mudanças climáticas reconhecida pelas Nações Unidas e todos podem fazer parte ao se inscrever na lista de discussão e contribuir com seus pensamentos e ideias sobre possíveis estratégias de ação

Por Cristina Dalla Torre*, da Agência Jovem de Notícias

Na manhã do dia 29 de novembro, durante a Conferência Internacional de Jovens em preparação para a COP20, foi realizada a oficina Youngo sobre partilha de experiências. Youngo é a organização internacional de jovens em torno do tema das mudanças climáticas reconhecida pelas Nações Unidas. É a porta-voz das propostas dos jovens e uma espécie de rede de todos os grupos ambientais, entre outras atividades.

Todos podem fazer parte da Youngo ao se inscrever na lista de discussão e contribuir com seus pensamentos e ideias sobre possíveis estratégias de ação. O objetivo principal do workshop foi motivar os jovens a respeito de seu poder de impacto sobre as negociações climáticas.

Depois de uma música energizante para derreter o gelo, na reunião dessa manhã falaram três participantes que partilharam suas experiências de sucesso no objetivo de pressionar pela maior inclusão dos jovens nas COPs passadas.

A brasileira Raquel Rosenberg contou sobre seu caminho com sua organização, Engajamundo, que a levou a ser parte ativa nas negociações como intermediária entre o governo brasileiro e as Nações Unidas na Conferência de Bonn, em julho passado. Quando o governo pediu sua opinião pessoal sobre o artigo 6º da Convenção relativa à educação e participação pública, ela aproveitou a oportunidade para apresentar os pedidos da Youngo no documento final.

Outra voz ativa em seu país, Colômbia, é Mateo Botero. Ele contou a incrível história de como conseguiu, sem vistos e acreditação oficial das Nações Unidas, já que era menor de idade, entrar na COP no Qatar em 2012. Sua motivação e iniciativa o levaram a estar hoje em Lima como parte da primeira delegação colombiana, que deve sua existência graças à coragem de Mateo.

A mensagem de Adam Greenberg, dos Estados Unidos, se afastou um pouco das outras duas intervenções: “É claro que a ação através da Youngo é importante, mas mais importante ainda é martelar os governos em nível nacional, mostrando-lhes, através de exemplos de sucesso, a necessidade de desinvestir em combustíveis fósseis “. De acordo com Adam, a Youngo é importante porque permite que os jovens se sintam parte de um grande movimento que os apoia. “O conhecimento de que existem milhares de outros jovens que, como nós, dedicam seu tempo à causa do combate às alterações climáticas é, certamente, um pensamento positivo com o qual acordar de manhã”, disse o jovem ativista.

* Cristina Dalla Torre é repórter da Agência Jovem de Notícias, projeto encabeçado pela ONG Viração Educomunicação



No artigo

x