Por um Natal livre da Aids, pastor sugere a execução de gays

Religioso norte-americano declarou que o mundo pode ser livrar da Aids se a comunidade LGBT for executada até o Natal.

797 0

Religioso norte-americano declarou que o mundo pode ser livrar da Aids se a comunidade LGBT for executada até o Natal

Por Redação

O pastor norte-americano Steven Anderson declarou, em culto, que o mundo pode se livrar da Aids até o Natal se todos os gays forem executados. A declaração foi feita em um sermão chamado “Aids: o julgamento de Deus”. O pastor da Igreja Batista Palavra Fiel também afirmou que a Bíblia defende o genocídio da comunidade LGBT.

“Qualquer um que seja homossexual ou bissexual, é tudo a mesma categoria e é classificado como sodomita pela Bíblia. Podemos ter um mundo livre da Aids até o Natal. Ok, não seria totalmente livre, mas seria algo em torno de 90%”, disse o pastor, que na sequência sugeriu o assassinato de gays como forma de acabar com a Aids.

“Se um homem se deitar com outro homem, como se fosse com mulher, ambos terão praticado abominação; certamente serão mortos, o seu sangue será sobre eles”, disse o pastor citando Levítico 20:13.

“E isso, meu amigo, é a cura para Aids. Está ali mesmo na Bíblia o tempo todo, e eles gastam bilhões de dólares em pesquisa e testes. É curável – ali mesmo. Porque se você executasse os homossexuais como Deus recomenda, você não teria a Aids correndo solta”, destacou.

As declarações de Steve Anderson aconteceram ao mesmo tempo em que o mundo celebrava o Dia Mundial de Combate à Aids e, por conta disso, causou forte reação da população do Arizona, quando o discurso foi parar nas redes sociais. Anderson é acusado de ser fundamentalista e disseminador de ódio entre os fieis.

Foto: Gospel Mais

 



No artigo

x