Quais são os únicos países a favor de colocar armas no espaço?

Estados Unidos e Israel votaram contra a resolução da ONU que proíbe que aconteça uma corrida armamentista no espaço, quando o resto do planeta votou a favor. Os dois países também foram contra a proibição do desenvolvimento de novas armas de destruição em massa.

890 0

Estados Unidos e Israel votaram contra a resolução da ONU que proíbe que aconteça uma corrida armamentista no espaço, quando o resto do planeta votou a favor. Os dois países também foram contra a proibição do desenvolvimento de novas armas de destruição em massa

Por Vinicius Gomes

Na época da Guerra Fria, a competição EUA-União Soviética foi marcada por duas “corridas”: a armamentista e a espacial. Com o intuito de provar ao mundo qual sistema funcionava melhor – o capitalismo ou o comunismo -, as duas potências rivalizaram durante décadas para ver quem conquistava o espaço sideral e quem tinha mais armas nucleares, deixando os mais de 170 países restantes no planeta apenas à mercê da disputa.

Mais de vinte anos depois do fim oficial de tal período, todos esses países de fora das corridas, mais os outros que “nasceram” desde então, aprovaram uma resolução na ONU que impede uma combinação dessas duas disputas – a corrida armamentista no espaço sideral. Exceto por dois países: Israel e, claro, EUA, que votaram contra.

A resolução foi um dos muitos temas debatidos sobre o desarmamento internacional, durante a Assembleia Geral na última terça-feira (2). A China, a Índia e a Rússia, que também possuem programas espaciais, assim como todos os países da Estação Espacial Europeia, votaram pela iniciativa que visa manter o espaço sem armas.

Estados Unidos e Israel também foram os dois únicos países que votaram contra outra resolução da ONU que proíbe o desenvolvimento e a manufatura de novos tipos de armas de destruição em massa. Essa resolução foi aprovada por 174 países, com uma única abstenção: Ucrânia.

Ironicamente, entre aqueles que votaram para banir novas armas de destruição em massa estava o Irã, o país mais criticado por EUA e Israel e que tem sofrido duras sanções econômicas  por conta de seu programa nuclear.

Nessa mesma reunião na ONU, um tema também debatido foi aquele que pedia a Israel que se juntasse ao Tratado de Não-Proliferação Nuclear, colocando assim seu programa nuclear secreto sob supervisão internacional, uma vez que Israel é o único país no Oriente Médio que não o fez ainda.

Foto de Capa: Israel Aerospace Industries



No artigo

x