Erundina: ‘Apoio ao PSDB desfigurou o PSB’

Deputada Luiza Erundina (PSB-SP) bate duro no seu próprio partido, que teria perdido completamente a identidade ao apoiar Aécio Neves (PSDB-MG), no segundo turno das eleições presidenciais, por decisão de Marina Silva.

632 1

Deputada Luiza Erundina (PSB-SP) bate duro no seu próprio partido, que teria perdido completamente a identidade ao apoiar Aécio Neves (PSDB-MG), no segundo turno das eleições presidenciais, por decisão de Marina Silva

Por Brasil 247

A deputada Luiza Erundina (PSB-SP), eleita para um quinto mandato com 177 mil votos, concedeu uma importante entrevista ao jornalista Fernando Taquari, do Valor Econômico, sobre a crise que hoje vive o PSB, que, na campanha presidencial, migrou da centro-esquerda para a centro-direita, ao apoiar o candidato Aécio Neves (PSDB-SP) no segundo turno.

“O PSB, primeiro, tem que voltar a ser socialista. Hoje, não é nada. Está completamente desfigurado e sem identidade pelos erros todos que cometeu. Não é aquele partido para o qual eu fui em 1997. Nas eleições fez concessões a segmentos conservadores. Agora, faz um jogo que se confunde com a direita mais reacionária do Congresso ao mesmo tempo que diz que vai apoiar o governo Dilma em certas questões”, diz ela.

“Essa dubiedade mostra que o PSB não tem um projeto para o país e, pior, está distante de se seus compromissos originais. Um partido não deve existir para disputar o poder a cada quatro anos, mas para propor soluções aos problemas estruturais do país.”

Sobre o apoio ao PSDB no segundo turno, Erundina usa a palavra “absurdo”. “O Campos dizia que deveríamos quebrar a polarização para ser a terceira força. Ao optar por um dos polos, você não só preserva a polarização, como fortalece um dos lados. O ideal era ter liberado os companheiros até pelas alianças regionais que foram feitas com PT e PSDB. Discordei da posição de Marina no segundo turno, especialmente da forma como se deu. Ela até colocou o emblema do outro candidato no peito.”

Foto de capa: PSB



No artigo

1 comment

  1. Eduardo Lima Responder

    Oo que mais precisa de reforma neste país, depois da mídia, é a “justiça”. É preciso reduzir o número de recursos, acelerar os processos judiciais, eliminar as manobras jurídicas, confinar os juízes a seus papéis, restringir sua ação aos autos. Juízes, promotores e procuradores devem ser punidos severamente se atuarem de forma seletiva, atrasarem ou impedirem investigações. Toda essa sensação de impunidade, discriminação e seletividade que emanam da “justiça” brasileira atinge em cheio a Classe C e mudar isso é um dos passos que mais vai garantir a reconquista dessa parcela da população pelo governo. É sobre isso a nossa reflexão desta semana no link abaixo.

    http://reino-de-clio.com.br/Pensando%20BR6.html


x