Após polêmica com Marta, Juca Ferreira reassume ministério da Cultura

Em seu discurso, o novo ministro destacou, entre outros assuntos, a importância da democratização da cultura no país, a necessidade de maior participação popular e a modernização dos direitos autorais.

419 0

Em seu discurso, o novo ministro destacou, entre outros assuntos, a importância da democratização da cultura no país, a necessidade de maior participação popular e a modernização dos direitos autorais

Por Maíra Streit

IMG_5040
Artistas e lideranças culturais se reúnem na solenidade (Foto: Vinícius Borba)

Nesta segunda-feira (12), o novo ministro da Cultura, Juca Ferreira, iniciou oficialmente a sua gestão. Ele recebeu o cargo da ministra interina, Ana Cristina Wanzeler, em uma cerimônia realizada no Teatro Funarte Plínio Marcos, em Brasília, que contou com a presença de autoridades, além de representantes da classe artística e de diferentes movimentos sociais.

Em sua fala, Juca não fez referência direta às críticas da ex-ministra da pasta, Marta Suplicy, que classificou a administração do sociólogo como “muito ruim”, em entrevista à jornalista Eliane Catanhêde, do Estado de S. Paulo. A senadora disse ainda ter enviado à Controladoria-Geral da União (CGU) documentos sobre supostas irregularidades ocorridas durante o período em que Juca esteve à frente do ministério pela primeira vez, no governo Lula.

camurati
Camurati: “A cultura é o grande cartão de visitas do país” (Foto: Maíra Streit)

Juca conduziu a solenidade com um discurso conciliatório, que destacou a necessidade de união entre a categoria artística, além de reforçar a importância da democratização da cultura no país. “Reassumo revigorado, convencido de que foi o fôlego e a resistência de um projeto coletivo que me trouxeram de volta para levar adiante a política cultural que iniciamos”, afirmou.

Entre os assuntos destacados por ele, estão a aprovação da PEC da Cultura, melhorias no sistema de financiamento, o alinhamento da área com a Educação – anunciada como prioridade pela presidenta Dilma – e a modernização dos direitos autorais. “O ambiente digital se desenvolve e se transforma rapidamente, e nossas leis devem acompanhar as novas práticas sociais que surgiram com as novas tecnologias”, ressaltou.

Para a atriz e cineasta Carla Camurati, presente no evento, o maior desafio do ministério será valorizar a diversidade cultural do povo brasileiro, tão cheia de peculiaridades. Para ela, essa discussão é estratégica com a proximidade das Olimpíadas, que trarão ainda mais visibilidade ao país. “Esse é o nosso cartão de visitas. A cultura brasileira é o grande cartão de visitas do país. Eu fico muito feliz que o Juca seja o nosso ministro. É a pessoa certa na hora certa”, afirmou.

Foto de capa: Ministério da Cultura



No artigo

x