Unidades de saúde vão registrar casos de agressão por homofobia

A partir deste ano, a ficha de notificação de casos de violência, preenchida nas unidades de saúde, passa a contar com dois novos itens: Orientação sexual e Identidade de gênero.

505 0

A partir deste ano, a ficha de notificação de casos de violência, preenchida nas unidades de saúde, passa a contar com dois novos itens: Orientação sexual e Identidade de gênero

Por Redação

Durante assinatura da portaria que cria a Comissão Interministerial de Enfrentamento à Violência contra Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (CIEV-LGBT), na última quinta-feira (29), o ministro da Saúde, Arthur Chioro, anunciou novidades na Ficha de Notificação de Violência, já utilizada pelas unidades de saúde do país.

O material, que deverá ser adotado tanto pelo Sistema Único de Saúde (SUS) como pela rede privada, contará com dois novos campos: Orientação sexual e Identidade de gênero. A previsão é de que a nova ficha de notificação esteja disponível nas unidades hospitalares a partir do segundo semestre de 2015. O trabalho realizado agora é de capacitação dos gestores de saúde para acolhimento e orientação às vítimas de violência.

A aplicação do documento, com as novas mudanças, irá começar pelas unidades de urgência e emergência e atenção básica. Em 2013, o nome social de travestis e transexuais já havia sido incluído no Cartão SUS, com a intenção de reconhecer a legitimidade desses grupos. “Estamos dando um passo simples, mas muito importante para efetivamente dar visibilidade a essa luta, mostrando a dimensão real do problema da homofobia no país”, afirmou o ministro sobre a mudança nas fichas de notificação, anunciada ontem.

Foto de capa: Antonio Cruz/ABr



No artigo

x