Exército do Reino Unido cria força especial de soldados do Facebook para guerras cibernéticas

Soldados britânicos com habilidades em jornalismo e familiaridade com mídias sociais estão entre os mais procurados para compor 77ª Brigada

836 0

Soldados britânicos com habilidades em jornalismo e familiaridade com mídias sociais estão entre os mais procurados para compor 77ª Brigada

Por Opera Mundi

O Exército britânico está criando uma força especial de guerreiros do Facebook, especializados em operações psicológicas e no uso das mídias sociais para se envolver em guerras cibernéticas, reportou o Guardian neste sábado (31/01).

A 77ª Brigada será sediada em Hermitage, a cerca de 100 quilômetros de Londres, e será formada por cerca de 1.500 pessoas. Para o recrutamento, a instituição vai incluir regulares e reservistas. Soldados com habilidades em jornalismo e familiaridade com as mídias sociais estão entre os mais procurados.

A criação da entidade será formalmente anunciada apenas em abril, antecipou o veículo inglês.  Ela será responsável por aquilo que é descrito como uma guerra não letal. Exércitos de Israel e dos Estados Unidos, por exemplo, já têm experiência e envolvimento em operações do gênero.

“A 77ª Brigada está sendo criada para enfrentar os desafios da guerra moderna. Trata-se de reconhecer que as ofensivas em um campo de batalha moderno podem ser afetadas de maneiras que não são necessariamente violentas”, explica um porta-voz do Exército do Reino Unido.

A decisão de elaborar a brigada é, em parte, resultado de experiência em operações de contra-insurgência no Afeganistão. A criação da entidade também é vista como uma resposta aos acontecimentos de 2014, que incluem a anexação da península ucraniana da Crimeia pelos russos e a  tomada de terras do Estado Islâmico em áreas na Síria e no Iraque. O grupo extremista sunita, em particular, revelou forte habilidade na exploração das mídias sociais para atrair milicianos ao redor  do mundo.

Foto: Flickr/ U.S Army



No artigo

x