Acadêmicos do Baixo Augusta: um bloco de rua ativista

Acostumado a reunir multidões e fazer uma grande festa pré-carvanal, o Acadêmicos do Baixo Augusta se tornou um dos principais blocos de rua de São Paulo. Confira a entrevista com o presidente do bloco, Alexandre Youssef

950 0

Acostumado a reunir multidões e fazer uma grande festa pré-carvanal, o Acadêmicos do Baixo Augusta se tornou um dos principais blocos de rua de São Paulo. Confira a entrevista com o presidente do bloco, Alexandre Youssef

Por SpressoSP

logo carnaval

 

 

 

Um bloco de rua ativista. É dessa forma que o presidente do Acadêmicos do Baixo Augusta, Alexandre Yousseff, define o grupo que vem trazendo cada vez mais pessoas ao carnaval de rua de São Paulo.

Formado em 2009 por frequentadores do Baixo Augusta, o bloco surgiu com o objetivo de transformar o carinho pelo bairro em uma espécie de comemoração. Já no primeiro desfile, um ano mais tarde, a iniciativa enfrentou forte resistência dos órgãos municipais. Em meio a uma política proibicionista que resultou até em ordem de prisão, o Acadêmicos resistiu na luta pelos blocos de rua e vai descer a Augusta em 2015.

Para Alexandre, ou Alê Youssef, presidente do bloco, a cidade necessitava de uma transformação urbana por meio da arte e da cultura. “Além de festejar a diversidade cultural do bairro, iniciamos um movimento político-cultural de resgate do carnaval de rua em 2009. O paulistano tinha uma carência muito grande de sair às ruas”, acredita.

Sob os olhares do cantor Wilson Simoninha, o
Sob os olhares do cantor Wilson Simoninha, o bloco ensaia no “Vegas Club”, na Rua Augusta

Youssef também faz questão de levantar a bandeira de “bloco ativista”. “Tivemos vários problemas com órgãos públicos e com as gestões municipais da época, que articularam ações para tentar impedir a saída do bloco. Cheguei a receber voz de prisão por estar tumultuando o espaço público e, em 2012, o então prefeito [Gilberto Kassab], foi claro e taxativo ao afirmar que não poderíamos sair na rua”, revelou.

A resistência do bloco chamou a atenção da população, reforçando a discussão sobre a importância da ocupação do espaço público. “Os paulistanos perceberam a necessidade de pertencimento em relação à cidade, não apenas os eventos privados, mas os eventos gratuitos também”, reforçou.

Este ano o Acadêmicos do Baixo Augusta deve levar aproximadamente 100 mil pessoas às ruas do centro da cidade. O bloco, que sai neste domingo da rua Augusta, entre as ruas Costa e Dona Antonia de Queiroz, traz o tema “Desbunde na Augusta”. A concentração começa às 14h e deve terminar na Praça Roosevelt, às 18h.

O bloco conta com 20 instrumentistas e ritmistas do Quizomba, além da presença de personalidades. A atriz Alessandra Negrini é a rainha do bloco, a cantora Tulipa Ruiz, madrinha; o escritor Marcelo Rubens Paiva é o porta-estandarte oficial, enquanto Wilson Simoninha será o puxador.



No artigo

x