Blogosfera derrota a Globo outra vez: blogueira preconceituosa se despede

Diante da repercussão negativa nas redes por seus posts preconceituosos e de ojeriza aos mais pobres, Silvia Pilz resolveu anunciar o fim de seu blog "Zona de Desconforto" no jornal O Globo

1263 0

Diante da repercussão negativa nas redes por seus posts preconceituosos e de ojeriza aos mais pobres, Silvia Pilz resolveu anunciar o fim de seu blog “Zona de Desconforto” no jornal O Globo

Por Redação 

Na disputa por espaço e narrativas nas redes, a blogosfera, mais uma vez, venceu o preconceito e a Globo. Isso por que essa semana a jornalista Silva Pilz, colunista do jornal O Globo, anunciou o fim do seu blog ˜Zona de Desconforto”, espaço em que utilizava para disseminar todo o seu preconceito sob a alegação de “tratar das hipocrisias” dos brasileiros.

A decisão de encerrar o blog se deve à grande pressão e repercussão negativa nas redes – de blogueiros e outros usuários -diante das ideias e da disseminação de preconceitos que giravam em torno de seus textos. O que mais ganhou repercussão, recentemente, foi o post “O Plano Cobre”, em que Pilz, de forma debochada, faz questão de mostrar todo o seu ódio para com os mais pobres.

“Acho que não conheço nenhuma empregada doméstica que esteja sempre com atacada da ciática [leia-se nervo ciático inflamado]. Ah! Eles também têm colesterol [leia-se colesterol alto] e alegam ‘estar com o sistema nervoso’ quando o médico se atreve a dizer que o problema pode ser emocional”, diz um dos trechos do post. 

No texto em que anuncia o fim do blog, Silvia afirma que a proposta inicial da página era tratar de temas que ninguém abordava, hipocrisias e questionar valores e comportamentos, mas que “desandou quando resolvi abordar com a mesma franqueza temas que envolvem minorias, incapazes, desvalidos e desfavorecidos” . Segundo a colunista, o post “O Plano Cobre” desencadeou uma “onda de reprovação inesperada”.

Confira a íntegra do texto que Pilz anuncia o fim de seu blog que fala mal de pobres. 

“Sobre o fim do blog Zona de Desconforto. A proposta era trazer ao jornal alguns assuntos que não são naturalmente abordados em jornais e discuti-los aberta e francamente. Dizer o que ninguém tem coragem de dizer. Fazer com que as pessoas reavaliassem hábitos e costumes. O blog foi concebido para tratar de hipocrisia, questionar valores e comportamento.

A proposta funcionou enquanto o debate girava em torno de questões sexuais ou temas da família. Mas desandou quando resolvi abordar com a mesma franqueza temas que envolvem minorias, incapazes, desvalidos e desfavorecidos. O post “O plano cobre”, em que satirizo o deslumbramento e o comportamento do pobre – nova classe média –  diante das oportunidades oferecidas pelos planos de saúde,  desencadeou uma onda de reprovação inesperada. A situação tornou-se tragicômica e insustentável para a imagem do jornal O Globo.

Depois desse post, que gerou um terremoto nas redes sociais, leitores revoltados foram buscar outros textos no acervo do Blog. A onda de reprovação cresceu e tomou proporçōes insuportáveis quando começaram as ofensas pessoais. Fui chamada de nazista e fascista por dizer – em um desses posts – que os adultos escondem o desconforto que sentem – por exemplo – quando se deparam com crianças com síndrome de Down ou anões. Enfim, preconceitos velados e disfarçados, de um modo geral, não foram bem aceitos pelos leitores politicamente corretos.”

Foto: Ana Branco/Divulgação

 



No artigo

x