Em áudio divulgado pelo MP, Agripino é citado por cobrança de propina

A conversa entre o ex-deputado João Faustino e o lobista George Olímpio revela a negociação no valor de R$ 1,1 milhão que teria sido paga ao senador Agripino Maia (DEM/RN), coordenador da campanha presidencial de Aécio Neves no ano passado; confira o diálogo entre...

1154 0

A conversa entre o ex-deputado João Faustino e o lobista George Olímpio revela a negociação no valor de R$ 1,1 milhão que teria sido paga ao senador Agripino Maia (DEM/RN), coordenador da campanha presidencial de Aécio Neves no ano passado; confira o diálogo entre os dois

Por Redação, com informações do Blog do Daniel Dantas

Em gravação divulgada pelo Ministério Público na tarde de ontem (24), o ex-deputado João Faustino, morto em janeiro de 2014, aparece em um diálogo com o empresário George Olímpio. Os dois falam sobre o fim da inspeção veicular no início do governo de Rosalba Ciarlini, no Rio Grande do Norte.

A expectativa de George é que João possa aproximá-lo da governadora, por intermédio do marido dela, Carlos Augusto Rosado. Nesta mesma conversa, o senador José Agripino Maia (DEM-RN) é citado por ter supostamente cobrado propina de mais de R$ 1 milhão como parte do esquema. A reunião foi feita na casa de João e girou em torno de uma negociação entre ele e Carlos Augusto Rosado. O diálogo foi gravado por George.

Confira a conversa abaixo:

João: “Haveria uma participação do consórcio na campanha e até uma participação mensal depois da campanha”
Carlos Augusto: “Essa participação mensal, eu dispenso”

João continua: “Ele [Carlos Augusto] diz que se lembra, sabe das negociações que Zé Agripino fez, sabe que você se comprometeu”
George: “Fora a negociação, daquele dinheiro, tem uma parte que foi dada (…) e mais cento e cinquenta. Eu dei uma parte por último, que ele me pediu, eu dei por último. 150, um cheque, que ele pegou dinheiro daquele rapaz, que fica lá na tevê, na Tropical”
João: “Sei, sei, o sobrinho dele, Tarcísio”
George: “Tarcisinho, que vence em setembro o cheque. Mais 150, no final da campanha. Ele disse assim: ‘George, eu preciso de você’”
João: “Você deu R$ 200 mil, não foi?”
“Eu dei R$ 300 mil, em dinheiro. Marcílio deu R$ 400, Ximbica deu R$ 300”
João: “Mais 150”
George: “Na última semana, ele me chamou e disse: ‘George, eu preciso de você’. Mais 150”
João: “Fora os juros”
George: “Os juros eu já vou pagando. Agora, em Brasília, ele me pediu para pagar o desse mês. Chega eu fiquei destreinado”. Já na parte final da conversa, depois de discutirem que, no governo, apenas Miguel Josino, então Procurador Geral do Estado, era contrário a uma solução que mantivesse a inspeção, George propõe: “Não valeria, depois dessa conversa, uma ligação do senador José Agripino para Miguel Josino, nesse sentido? ‘Miguel: defenda a lei, que é um absurdo o que está se dizendo da inconstitucionalidade’”

***

Diz João: “Eu vou falar com José Agripino”, ao que George complementa, dando os argumentos em cima de uma lei sobre inspeção veicular semelhante feita pelo Distrito Federal que foi julgada constitucional pelo STF.

Foto de capa: Geraldo Magela/Agência Senado



No artigo

x