Milhares tomam as ruas de Curitiba contra Beto Richa

De acordo com a polícia, há cerca de 40 mil manifestantes nas ruas. Convocada pelos professores da rede estadual - que estão em greve -, a marcha ganhou força principalmente pela revolta contra o pacote de medidas apoiado pelo governador tucano; movimento que pede...

1127 0

De acordo com a polícia, há cerca de 40 mil manifestantes nas ruas. Convocada pelos professores da rede estadual – que estão em greve -, a marcha ganhou força principalmente pela revolta contra o pacote de medidas apoiado pelo governador tucano; movimento que pede o impeachment de Richa começa a crescer 

Por Redação 

As ruas do centro de Curitiba estão, mais uma vez, tomadas. Milhares de manifestantes (40 mil, de acordo com a Polícia Militar) protestam nesta quarta-feira (25) contra o governo estadual, comandado pelo tucano Beto Richa.

A marcha, a princípio, foi convocada pelo sindicato dos professores da rede estadual, que está em greve há 17 dias por conta de atrasos e congelamentos de reajustes. A revolta contra Richa, no entanto, não se limita à categoria. Servidores públicos de diversas outras áreas vêm se incorporando às manifestações, principalmente por conta do pacote de medidas que o governador tentava aprovar na Assembleia Legislativa, cujo intuito era resolver a crise financeira que assola o estado. Entre essas medidas, estaria, por exemplo, utilizar o fundo previdenciário de 8 bilhões de reais para pagar suas contas. 

Entre as reivindicações dos professores, faixas e bandeiras de “Fora Richa” e “Impeachment” ganham cada vez mais força. No último sábado (21), uma manifestação que pedia especificamente a saída do tucano do governo reuniu cerca de mil pessoas.

Nesse momento, representantes do sindicato dos professores estão reunidos com membros do governo para tentar, pela terceira vez, negociar o fim da paralisação.

Leia também:

“O que aconteceu no Paraná é um microcosmo do que pode acontecer no Brasil”, diz Requião


Foto: Página Deputado Estadual José Lemos (PT/PR). Ex-presidente da APP – Sindicato dos Professores



No artigo

x