#OcupeEstelita: Petição online quer tombamento do Pátio Ferroviário das Cinco Pontas

O Movimento Ocupe Estelita e o grupo Direitos Urbanos – Recife criou nesta quarta-feira (26/02) uma p...

591 0

O Movimento Ocupe Estelita e o grupo Direitos Urbanos – Recife criou nesta quarta-feira (26/02) uma petição online que exige o tombamento do Pátio Ferroviário das Cinco Pontas e do Cais José Estelita. A ação conta com o apoio de mais de 40 entidades, coletivos e  instituições, além  de mobilizar  internautas e a sociedade para somar forças ao pedido protocolado em Brasília, por representantes do movimento, no dia 12 de Março, que apresenta uma série de documentos para justificar o pedido de tombamento. Na Quarta-feira (25/02) o movimento obteve uma importante vitória: O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN)  determinou a inscrição da área operacional do local na lista de Patrimônio Cultural Ferroviário Brasileiro (noticiamos aqui).

A solicitação de tombamento direcionada ao Ministério da Cultura (MinC) e IPHAN reitera o valor histórico e patrimonial da área para o estado de Pernambuco e sua relação com a história do Brasil, evidencia ainda o valor econômico que saltam os olhos das empreiteiras (Consórcio Novo Recife) e a necessidade de um novo projeto urbanístico e cultural que represente o uso público da área, dando uma função social ao Pátio Ferroviário das Cinco Pontas e do Cais José Estelita.

Clique aqui para assinar  a petição de tombamento do Pátio Ferroviário das Cinco Pontas

Durante muitos anos o local foi entregue ao abandono pela Prefeitura do Recife e o Governo de Pernambuco, algo comum nas áreas históricas da cidade, e para revitalizar a área foi realizado um leilão onde parte do terreno foi adquirida pelo Consórcio Novo Recife (Moura Dubeux, Queiroz Galvão, G.L. Empreendimentos e Ara Empreendimentos) que pretende implementar, sob várias irregularidades, o Projeto Novo Recife: Edificação de empreendimento imobiliário que prevê a construção de 12 torres com até 40 andares, ou seja, a implementação da verticalização, gentrificação e privatização do espaço público, algo sem ligação com as necessidades do povo recifense e a configuração da cidade.

Clique aqui para assistir o curta metragem: Recife, a cidade roubada

As atividades realizadas (estudo, apresentação de projetos, eventos, audiências) pelo grupo Direitos Urbanos (criado em 2008) sobre o Pátio Ferroviário das Cinco Pontas e o Cais José Estelita, assim como a ocupação realizada pelo Movimento Ocupe Estelita em 2014, serviram de base para comprovar as inúmeras possibilidades de revitalização,  o interesse popular em participar das decisões e a necessidade de elaborar um novo projeto para o local que possa levar em conta o direito à cidade, uso so, cultural e preservação da memória e patrimônio.

Confira a justificativa da petição da petição online:

“Por ser uma área portadora de valores históricos, arqueológicos, paisagísticos e ambientais indiscutíveis para a cidade do Recife, o Estado de Pernambuco e para o Brasil. Próxima a 16 Monumentos Nacionais preservados pelo IPHAN, o Pátio Ferroviário das Cinco Pontas é ainda um precioso documento sobre a memória ferroviária de Pernambuco e do Brasil, e, naturalmente, um bem de enorme valor para a história do Recife. O pátio foi implantado sobre zona de aterramento junto ao antigo Aterro dos Afogados, no século XVII por iniciativa dos holandeses para ligar o Forte das Cinco Pontas, Monumento Nacional desde 1938, e o Forte do Príncipe Guilherme (demolido no inicio do século XIX). Essa área aberta compunha um sofisticado sistema defensivo de mar, rios e canais, demarcando também a entrada por terra da região produtora de açúcar. Além disso, ao longo do pátio, sobre o aterro dos Afogados, encontra-se o traçado da primeira linha férrea de Pernambuco, segunda do Brasil para ligar o Recife ao rio São Francisco. A área se destaca também pelo seu valor enquanto paisagem cultural, na sua relação histórica com a bacia do Pina, com o bairro do Recife e com o antigo Porto do Recife.

Nos últimos anos, o grupo ‘Direitos Urbanos | Recife’ promoveu diversas ocupações político-culturais no Cais José Estelita, mostrando que parte significativa da população deseja conhecer e resguardar sua história e sua identidade. Em 2014, após uma tentativa de demolição, houve a ocupação permanente e pacífica pelo ‘Movimento Ocupe Estelita’, em protesto contra um projeto imobiliário que está sendo questionado judicialmente e que tornou o Movimento Ocupe Estelita conhecido nacional e internacionalmente. Milhares de pessoas visitaram o pátio nas semanas seguintes. Após tantos anos fechado, a maioria da população jamais havia andado por aqueles trilhos, vagões e armazéns, em um dos poucos espaços abertos, talvez o único, de onde ainda se vê o pôr-do-sol no Recife e cujo potencial como área pública de uso comum é enorme.

Já conseguimos avanços significativos com o reconhecimento da área operacional do Patio Ferroviário das Cinco Pontas, como representativo para a memória ferroviária brasileira, mas isso não representa o tombamento. Queremos que o patio ferroviário e o Cais José Estelita sejam tombados, pois eles fazem parte da nossa história, da nossa memória e a da paisagem urbana do Recife.

Povo sem história é povo sem memória e povo sem memória é povo sem alma.”

Estelita, vive!  Memória Ferroviária!

#ResisteEstelita

#TombaMinC

#AssinaMinistro

Acompanhe as redes sociais do Blog Voz em Rede: Facebook | Twitter | G+



No artigo

x