Fidel Castro se encontra com grupo dos ‘Cinco Cubanos’ em Havana

Em dezembro, os governos de Cuba e Estados Unidos firmaram um acordo para a retomada das relações diplomáticas, que culminou na soltura dos últimos três do grupo conhecido como os 'Cinco Cubanos', que seguiam presos nos EUA. A libertação, além de ser uma demanda...

754 0

Em dezembro, os governos de Cuba e Estados Unidos firmaram um acordo para a retomada das relações diplomáticas, que culminou na soltura dos últimos três do grupo conhecido como os ‘Cinco Cubanos’, que seguiam presos nos EUA. A libertação, além de ser uma demanda de movimentos sociais em diversas partes do mundo, era também uma das principais reivindicações de Fidel

Por Vanessa Martina Silva, do Opera Mundi

O líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, se encontrou com o grupo dos Cinco Cubanos em sua residência e escreveu, na noite deste domingo (01/03), uma “reflexão” a respeito do encontro, publicada nesta segunda-feira (02/03) no jornal oficial Granma.

Em dezembro, os governos de Cuba e Estados Unidos firmaram um acordo para a retomada das relações diplomáticas, que culminou na soltura do norte-americano Alan Gross, que cumpria pena de 15 anos na ilha por espionagem, e dos últimos três dos Cinco Cubanos presos que seguiam presos nos EUA. O grupo era formado por agentes com a missão de, segundo Havana, coibir práticas terroristas que seriam perpetradas por cubanos radicados em Miami.

A libertação dos cubanos, além de ser uma demanda de movimentos sociais em diversas partes do mundo, era também uma das principais reivindicações do ex-presidente cubano. Por esta razão, a demora em se pronunciar sobre o caso chegou a alimentar boatos sobre seu estado de saúde e até de sua morte. O encontro aconteceu 73 dias após o anúncio do acordo.

fidel2

No texto assinado por Fidel, o líder ressalta que os cubanos tiveram que passar “15 longos anos da mais plena juventude respirando o ar úmido e repugnante, fedorento e repugnante dos sótãos de uma prisão ianque, após terem sido condenados por juízes venais”.

Ele ressalta o fato de que os Cinco, como são internacionalmente conhecidos, não cometeram nenhum ato contra os Estados Unidos e que a única coisa que tentaram fazer foi “tratar de impedir os atos terroristas contra nosso povo, organizados pelos órgãos de inteligência norte-americanos que a opinião mundial conhece amplamente”, ressalta Fidel.

Fidel diz que esteve feliz durante as cinco horas que passou com Gerardo Hernández, René González, Tony Guerrero, Fernando González e Ramón Labañino e concluiu dizendo que dispõe de tempo suficiente para “solicitar aos Cinco que invistam uma parte do imenso prestígio que têm em algo que será sumamente útil a nosso povo”.

fidel3
Fotos: Estudio Revolución



No artigo

x