Datafolha feito no dia seguinte ao ato anti-Dilma mostra 62% de reprovação

Pesquisa, realizada após as manifestações de domingo, aponta queda na popularidade; o Congresso Nacional só é aprovado por 9% dos entrevistados

390 0

Pesquisa, realizada após as manifestações de domingo, aponta queda na popularidade; o Congresso Nacional só é aprovado por 9% dos entrevistados

Por Redação

O instituto Datafolha divulgou nesta quarta-feira (18), os resultados de pesquisa realizada nos dias 16 e 17 de março, em seguida aos protestos contra o governo do último domingo (15), que concentraram, em sua maioria, eleitores de Aécio. Com cobertura massiva da Globo e outros veículos, as manifestações influenciaram na popularidade da presidenta.

Em fevereiro, o índice de desaprovação ao governo Dilma chegava a 44%. Agora, 62% consideram seu mandato ruim ou péssimo. Apenas 13% o avaliaram como bom ou ótimo e 24%, regular.

>> 82% dos manifestantes de domingo votaram em Aécio, diz Datafolha

A Folha de S. Paulo compara os índices com os piores momentos de outros ex-presidentes. Itamar Franco, por exemplo, teve índice de 12% de aprovação em novembro de 1993, época do escândalo do Orçamento, na Câmara. Fernando Henrique Cardoso conseguiu 13% em setembro de 1999, quando a população sentia os efeitos da desvalorização do Real. Além do próprio Collor na fase pré-impeachment (9%).

Já Lula, mesmo com o caso do mensalão em 2005, não chegou a níveis tão baixos. A pior taxa de aprovação do ex-presidente após a cassação de José Dirceu foi de 28%. E a desaprovação alcançou 29%.

Se a avaliação de Dilma caiu, a do Congresso Nacional seguiu o mesmo caminho. Só 9% consideram ótimo ou bom o desempenho dos deputados e senadores. Para metade da população (50%), a atuação dos congressistas é ruim ou péssima.
De acordo com o Datafolha, a pesquisa foi realizada com 2.842 entrevistados em 172 municípios.

(Foto Capa: Dilma sanciona Lei do Feminicídio/Valter Campanato/Agência Brasil)



No artigo