Camargo Corrêa rebate acusações da Folha contra Dirceu

Em resposta à matéria da Folha de S. Paulo, que acusa o ex-ministro José Dirceu de receber parte de propinas como pagamento de consultorias dadas a empreiteiras, a construtora Camargo Corrêa negou irregularidades e confirmou que os serviços foram prestados legalmente.

581 0

Em resposta à matéria da Folha de S. Paulo, que acusa o ex-ministro José Dirceu de receber parte de propinas como pagamento de consultorias dadas a empreiteiras, a construtora Camargo Corrêa negou irregularidades e confirmou que os serviços foram prestados legalmente

Por Redação

Neste domingo (22), a capa da Folha de S. Paulo traz uma nova acusação ao ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu. Desta vez, o jornal insinua que o petista era pago por consultorias dadas a empreiteiras com parte de propinas destinadas a seu partido.

Segundo a reportagem, o dinheiro dos serviços prestados por Dirceu a duas empresas, a UTC Engenharia e a Camargo Corrêa, sairia de uma suposta propina para o PT na diretoria de Serviços da Petrobras, comandada por Renato Duque, atualmente preso em Curitiba. De acordo com o jornal, a denúncia teria sido feita por Ricardo Pessoa, acionista da UTC, e executivos da Camargo.

Porém, a Camargo Corrêa negou qualquer irregularidade. O advogado da empresa, Celso Vilardi, afirmou que a contratação dos serviços do ex-ministro não envolveu nenhum tipo de constrangimento para a empreiteira.

Por meio de sua assessoria, José Dirceu disse que as atividades de consultoria não têm  relação com a Petrobras. “A JD Assessoria e Consultoria não se pronuncia sobre supostas ilações que estão fora dos autos do processo, portanto sem qualquer fundamentação legal, e que visam tão somente tentar criminalizar a licitude da prestação de serviços da empresa”, declarou.

Outras companhias que contrataram Dirceu – como Ambev, Consilux, Engevix e o grupo ABC – também confirmaram a realização dos serviços de consultoria.

Foto de capa: Viomundo



No artigo

x