Em audiência pública com Eduardo Cunha, manifestantes são expulsos

Presidente da Câmara dos Deputados mal conseguiu iniciar sua fala na Assembleia Legislativa paulista, em audiência sobre reforma política, devido ao "escracho" de dezenas de manifestantes que lotaram as galerias. Fernando Capez (PSDB), presidente da Alesp, resolveu suspender a sessão e retirar o público...

905 0

Presidente da Câmara dos Deputados mal conseguiu iniciar sua fala na Assembleia Legislativa paulista, em audiência sobre reforma política, devido ao “escracho” de dezenas de manifestantes que lotaram as galerias. Fernando Capez (PSDB), presidente da Alesp, resolveu suspender a sessão e retirar o público do local

Por Ivan Longo 

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), foi alvo de um “escracho” na manhã desta sexta-feira (27) em São Paulo. Com outros parlamentares e deputados estaduais, Cunha veio à capital paulista para participar do Câmara Itinerante, projeto que visa levar pautas do Legislativo federal para serem discutidas com a população em audiências públicas.

Manifestantes se beijam para protestar contra a homofobia durante a sessão
Manifestantes se beijam para protestar contra a homofobia durante a sessão

O princípio da audiência pública, como sugere o nome, costuma a contar com a participação popular. O presidente da Assembleia Legislativa, Fernando Capez (PSDB), no entanto, decidiu suspender a sessão por 10 minutos e esvaziar as galerias do plenário Juscelino Kubitschek, expulsando manifestantes que vaiavam Eduardo Cunha.

Quando Cunha foi abrir sua fala, mal disse “bom dia” e os gritos de “Fora, Cunha”, “Homofóbico” e “Fascista” se impuseram sobre sua voz. “O povo quer falar, constituinte já”, gritavam as dezenas de pessoas presentes, carregando faixas que protestavam contra a homofobia e a intolerância e pedindo por financiamento público de campanha.

Irônico, o presidente da Câmara dos Deputados respondeu: “Cumprimento os intolerantes. Os intolerantes merecem sempre nosso cumprimento. Aqueles que são mal educados mostram que não estão à altura da Casa onde estão”.

Mostrando toda a sua indignação, o público presente seguiu realizando o protesto em cima da fala de Cunha até que o presidente da Casa, Fernando Capez (PSDB), resolveu intervir. “Isso é uma audiência pública. Vou ler aqui o regimento interno”, afirmou, decidindo antecipar sua decisão antes mesmo de terminar a leitura. “Determino que sejam evacuadas as galerias. Todas! A sessão está suspensa por dez minutos”.

Manifestantes são expulsos da sessão
Manifestantes são expulsos da sessão

Os seguranças, então, retiraram os manifestantes à força do local e a sessão seguiu à portas fechadas.

Fotos: NINJA 



No artigo

x