Maranhão: Escolas que homenageiam militares serão rebatizadas

Segundo o governador Flávio Dino, que determinou as mudanças, as próprias instituições de ensino escolheram os novos nomes; alterações valerão a partir de hoje, data em que o golpe militar completa 51 anos

833 0

Segundo o governador Flávio Dino, que determinou as mudanças, as próprias instituições de ensino escolheram os novos nomes; alterações valerão a partir de hoje, data em que o golpe militar completa 51 anos

Por Redação

Nesta terça-feira (31), data em que o golpe militar completa 51 anos, escolas estaduais do Maranhão cujos nomes homenageiam ditadores serão rebatizadas por determinação do governador Flávio Dino (PCdoB). “Amanhã, data do golpe de 1964, vamos trocar os nomes de escolas alusivos aos generais-ditadores. Não merecem homenagens. Ditadura nunca mais”, disse Dino em posts nas redes sociais.

A Secretaria de Estado da Educação identificou, em nove municípios maranhenses, dez instituições de ensino que possuíam nomes de ex-presidentes do regime militar. Na capital, São Luís, a Escola Estadual Marechal Castelo Branco passará a se chamar Unidade Jackson Lago (ex-governador do estado). Em Imperatriz, o então Centro de Ensino Castelo Branco se tornará  Centro de Ensino Vinícius de Moraes. Em Timbiras, a escola batizada com o nome do ex-presidente Emílio Garrastazu Médici será, a partir de hoje, Centro de Ensino Paulo Freire.

Ainda segundo o governador, “as próprias comunidades escolares escolheram novos nomes”. Ele ressaltou que, com o relatório apresentado no final de 2014 pela Comissão Nacional da Verdade, não é “razoável” que prédios públicos continuem a agraciar militares que cometeram graves violações de direitos humanos. “O estado do Maranhão não mais homenageará os responsáveis por crimes contra a humanidade”, afirmou ao Estado de S. Paulo.

As alterações serão publicadas no Diário Oficial de hoje.

 

Foto de capa: Wikimapia



No artigo

x