Janot vai à França para obter dados do Swissleaks, dizem membros da CPI

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se reuniu ontem (31) com integrantes da CPI que investiga o caso envolvendo correntistas brasileiros no HSBC suíço.

661 0

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se reuniu ontem (31) com integrantes da comissão que investiga o caso envolvendo correntistas brasileiros no HSBC suíço

Por Maíra Streit

janot - senadores
Encontro de senadores com Rodrigo Janot (Foto: ASCOM/Fátima Bezerra)

Na terça-feira (31), integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do HSBC participaram de uma reunião com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em busca de informações sobre os nomes de brasileiros envolvidos no caso Swissleaks. Eles pediram o compartilhamento de dados obtidos nas investigações realizadas pelo Ministério Público Federal.

A reunião durou cerca de uma hora e a novidade divulgada pelos parlamentares é que Janot deve se encontrar com procuradores franceses em abril para aprofundar a apuração dos fatos. A expectativa é de que, assim que a lista com a identificação de contas de brasileiros no HSBC suíço for fornecida, ela deverá ser apresentada aos membros da CPI.

A senadora Fátima Bezerra (PT/RN), que participou do encontro, disse que essa é uma etapa importante para os trabalhos da Comissão. “O MP está fazendo sua parte e, assim que obtiver a lista, encaminhará para a CPI. É fundamental a Comissão ter acesso a essa lista para separar o joio do trigo. Nós não vamos fazer sensacionalismo, mas apenas compartilhar informações importantes que contribuirão para o nosso trabalho de investigação, respeitando sempre o sigilo no quer for necessário”, declarou.

Na reunião, estiveram presentes ainda o presidente da CPI, Paulo Rocha (PT-PA), além dos senadores Raldolfe Rodrigues (PSOL-AP), Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Regina Souza (PT-PI).

Relembre

O caso conhecido como Swissleaks é uma apuração jornalística internacional feita a partir de dados obtidos do HSBC por um ex-funcionário, Hervé Falcian, em 2008. A lista revela que os correntistas brasileiros tinham cerca de US$ 7 bilhões entre 2006 e 2007 no banco suíço, em um total de 6.606 contas de 8.667 clientes. A investigação em andamento irá apurar uma eventual relação dessas contas com a prática de ilicitudes, como evasão, sonegação fiscal e até mesmo lavagem de dinheiro.

Foto de capa: EBC

 



No artigo

x