63% dos que apoiam abertura de processo de impeachment não sabem quem entra no lugar de Dilma

Índice dos que não têm conhecimento da linha sucessória entre aqueles que rejeitam a ideia de cassação é menor, alcançando 47%

457 0

Índice dos que não têm conhecimento da linha sucessória entre aqueles que rejeitam a ideia de cassação é menor, alcançando 47%

Por Redação

O Datafolha divulgou neste sábado (11) pesquisa indicando que 63% das 2.834 pessoas ouvidas pelo instituto acham que, levando-se em conta tudo o que se sabe sobre a Operação Lava Jato, deveria ser aberto um processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff. Contudo, chama a atenção o grau de desinformação dos pesquisados a respeito do que aconteceria caso a petista saísse do cargo.

Entre os que apoiam a abertura de um processo que poderia levar à cassação da presidenta, somente 37% sabem quem assumiria o comando do Executivo, citando o vice de forma genérica (27%) ou o nome de Michel Temer (10%). Ainda neste segmento, 15% apontam Aécio Neves, 8% mencionam outros nomes e 40% não sabem. Em meio aos que rejeitam a ideia, 33% sabem que o vice assume, e 19% citam Temer de forma direta; 5% citam Aécio Neves, 9% apontam outros nomes e 33% não sabem.

Quando perguntados se acreditam que Dilma vai ser afastada em função das denúncias da Lava Jato, 64% não creem no afastamento e 29% acham que sim. A respeito dos protestos contra o governo, 75% são a favor e 19% se posicionam de forma contrária.

A avaliação da presidenta se manteve estável, com 13% de ótimo/bom, sendo que os que consideram o governo ruim/péssimo são 60% (eram 62% no último levantamento do Datafolha) e os que acham o governo regular são 27% (contra 24%). O índice dos que acreditam que Dilma sabia da corrupção da Petrobras e deixou que ocorresse caiu de 61%, marca apurada no levantamento anterior, para 57% agora.

Foto: Antônio Cruz/Abr



No artigo

x