Leandro Fortes: O ataque da Mulher Selva ao ministro Jaques Wagner

Diante do ministro da Defesa, Jaques Wagner, e dos três comandantes das Forças Armadas, a mulher, Marta Serrat, se apresenta como “repórter” de um tal “The Brazilian Post” e faz um discurso bisonho sobre o MST para, no final, recorrer à Lei de Segurança...

1450 0

Por Leandro Fortes, para o DCM

O estranho jornalismo de Marta Serrat
O estranho jornalismo de Marta Serrat

Diante do ministro da Defesa, Jaques Wagner, e dos três comandantes das Forças Armadas, a mulher, Marta Serrat, se apresenta como “repórter” de um tal “The Brazilian Post” e faz um discurso bisonho sobre o MST para, no final, recorrer à Lei de Segurança Nacional – um entulho autoritário criado, em 1969, pela ditadura militar, ainda em vigor, mas em uma versão mais branda, de 1983, assinada pelo general João Baptista Figueiredo.

Aí, você procura “The Brazilian Post” no Google é descobre que se trata, na verdade, de um certo “O Jornal do Estado”, do Espírito Santo, um panfleto eletrônico de extrema direita cujo “diretor-editor”, Antônio Carlos Lacerda, se autodefine assim:

“THE BRAZILIAN POST tem como diretor-editor o seu próprio fundador, Jornalista ANTONIO CARLOS LACERDA, 66 anos, natural e residente no Estado do Espírito Santo, Sudeste do Brasil. ANTONIO CARLOS LACERDA é Jornalista desde 1968, com registro profissional na Federação Nacional dos Jornalistas Profissionais (Fenaj), Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e International Federation of Journalists (IFJ). Além de diretor-editor do THE BRAZILIAN POST, o jornalista ANTONIO CARLOS LACERDA é Correspondente Internacional do Jornal PRAVDA, de Moscou, Rússia, do qual é Topy Story, e premiado em 2010, 2011 e 2012 como o jornalista mais lido do mundo.”

Fiquei, claro, curioso em saber mais sobre o “jornalista mais lido do mundo” por três anos consecutivos. O problema é que, até onde consegui pesquisar, não há nenhum ranking (ou seja lá o que isso signifique) chamado “Topy Story”. Nem página de Facebook, nem site, nem notícia alguma. Nada.

Sobre o Antonio Carlos Lacerda, achei essa referência estranha na não menos sinistra “Ordem dos Teólogos e Pastores do Brasil”.

Além disso, descobri pelo Facebook do nobre jornalista, que ele tem, na verdade, 69 anos. Ou seja, nem o expediente do “The Brazilian Post” é confiável.

No site do Pravda em língua portuguesa, Antonio Carlos Lacerda assina textos de Washington, Nova York, São Paulo, Belo Horizonte, Londres, Brasília e de onde mais se possa imaginar. Talvez por isso ele também se intitule um “repórter sem fronteira”.

Lacerda seria, de fato, praticamente um globetrotter, não fossem as matérias do lidíssimo periodista um show de Ctrl C + Ctrl V produzidas em série, imagino, em Vitória, Guarapari ou São Roque do Canaã.

Maria Serrat, a voluntariosa repórter do “The Brazilian Post”, é uma figura não menos bizarra.

Ela foi às ruas do Rio de Janeiro, em 15 de março, tietar e entrevistar o deputado Jair Bolsonaro, do PP, guru da extrema direita nacional.

No vídeo que postou no Facebook, a moça está histérica diante do mito, e se apresenta como “Mulher Selva” – imagino, para atiçar os baixos instintos do furioso parlamentar.

A um sorridente Bolsonaro, ela pergunta se não seria uma boa ideia prender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, e João Pedro Stédile, líder do MST, “por incitação à guerra civil”.

Bolsonaro não só concorda, claro, com a tese, como explica que, curiosamente, as armas para a tal guerra, já apreendidas no Rio, teriam vindo da Rússia.

Ué, mas o chefe de Maria Serrat, o super lido Antonio Carlos Lacerda, não é, justamente, correspondente do Pravda no Brasil? Ele nunca soube disso?

Alô, pessoal do Topy Story, é hora de rever esse ranking!

Jaques Wagner, com uma paciência de Jó, ainda se dispôs a responder à diatribe da Mulher Selva.

Mas Marta Serrat não se deu por satisfeita. Nas páginas do “The Brazilian Post”, escreveu que o ministro fugiu de sua corajosa pergunta.

Virou, portanto, a Mulher Pomba Enxadrista, aquela que caga no tabuleiro, derruba as peças e sai voando cantando vitória.



No artigo

x