Professores são agredidos pela polícia no Paraná

Foram usados spray de pimenta e bombas de gás em ação truculenta da polícia militar contra os manifestantes, que tentam pressionar os deputados estaduais a não aprovar as mudanças na previdência de servidores propostas pelo governador Beto Richa (PSDB).

1852 0

Foram usados spray de pimenta e bombas de gás em ação truculenta da polícia militar contra os manifestantes, que tentam pressionar os deputados estaduais a não aprovar as mudanças na previdência de servidores propostas pelo governador Beto Richa (PSDB)

Por Redação

Professores em greve foram agredidos pela polícia militar nesta terça-feira (28), no bairro Centro Cívico, em Curitiba. O confronto aconteceu quando a PM decidiu evitar a passagem de um caminhão de som do Sindicato dos Professores (APP Sindicato), que se dirigia para a frente da Assembleia Legislativa do Paraná.

Foi usado spray de pimenta e bombas de gás contra os manifestantes, que tentam pressionar os deputados estaduais a não aprovar as mudanças na previdência de servidores propostas pelo governador Beto Richa (PSDB). Esta é a segunda paralisação dos professores em 2015. A primeira greve começou no dia 9 de março e durou 30 dias.

Vários vídeos já circulam na internet denunciando a truculência da polícia contra os professores. Pelo menos oito pessoas ficaram feridas.

Foto de capa: Reprodução/Facebook



No artigo

x