Professores universitários de Pernambuco repudiam cobertura da Rede Globo no caso do Cais José Estelita

Ontem, foi aprovado de forma polêmica projeto de lei que permite a construção de grande condomínio residencial e comercial na área do Cais José Estelita, no centro histórico de Recife; movimento Ocupe Estelita convocou para esta terça-feira (5) manifestação para tentar reverter o quadro...

793 0

Ontem, foi aprovado de forma polêmica projeto de lei que permite a construção de grande condomínio residencial e comercial na área do Cais José Estelita, no centro histórico de Recife; movimento Ocupe Estelita convocou para esta terça-feira (5) manifestação para tentar reverter o quadro

Por Redação

Mais de trinta professores de universidades pernambucanas assinaram carta de repúdio à cobertura que a Rede Globo tem realizado sobre o caso do Projeto Novo Recife, que envolve a construção de um grande condomínio residencial e comercial na área ocupada atualmente pelo Cais José Estelita, na capital. Para os docentes, a emissora “assumiu defesa explícita” ao projeto em seus telejornais, “desconsiderando preceitos básicos elementares da boa prática jornalística”. O documento foi lido nesta terça-feira (5), durante a abertura da 3ª Semana de Comunicação Pública de Pernambuco.

Ontem (4), em sessão polêmica que não estava na ordem do dia, foi aprovado na Câmara dos Vereadores de Recife o projeto de lei n°08/2015, que contempla o Plano Específico do Cais José Estelita, Santa Rita e Cabanga e libera a construção do Novo Recife. A população foi impedida de entrar nas galerias da Casa, e em função da manobra levada a cabo pelo presidente Vicente André Gomes (PSB), vereadores da oposição se retiraram no momento da votação.

A aprovação ocorreu no mesmo dia em que o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) encaminhou à presidência da Câmara um ofício informando sobre ação civil pública que pede a devolução do PL ao Conselho da Cidade da Prefeitura do Recife para que seja reaberta a discussão. A promotoria ajuizou a ação no Tribunal de Justiça de Pernambuco na última quinta-feira (30).

Ativistas do movimento Ocupe Estelita marcaram para esta hoje um protesto para “salvar o Estelita”. “Pelo cumprimento da recomendação do Ministério Público pelo prefeito e o estabelecimento de uma mesa de negociação entre o Movimento, a Câmara dos Vereadores, o MPPE e a prefeitura para a anulação da votação e sanção do Projeto de Lei do Cais José Estelita”, diz o evento criado no Facebook para articular o ato. 

Confira, a seguir, a íntegra da carta:

Para entender o caso do Cais José Estelita, leia também: Ocupe Estelita e as cidades das grandes empreiteiras

“PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS REPUDIAM COBERTURA DA REDE GLOBO NORDESTE NO CASO ‪#‎OCUPEESTELITA‬

Nós, professores nas universidades de Pernambuco, manifestamos nosso repúdio à postura assumida pela Rede Globo Nordeste – concessão pública como toda emissora de televisão – na cobertura dos acontecimentos envolvendo o Projeto Novo Recife, em relação ao qual assumiu defesa explícita em seus telejornais, desconsiderando preceitos básicos elementares da boa prática jornalística. A mais recente prova desse comportamento, que evidencia um claro desvio da ética jornalística, foi dada na reportagem divulgada ontem, dia 04 de maio de 2015, no NETV 2ª. Edição , cujo tema foi a aprovação do Projeto de Lei contendo o Plano Urbanístico para o Cais José Estelita, Cabanga e Santo Amaro.

A votação do projeto de lei não estava prevista na ordem do dia e desrespeitou determinação do Ministério Público de Pernambuco para que o Plano Urbanístico retornasse ao Conselho das Cidades para nova apreciação, visto que sua aprovação nessa instância também se deu de modo escuso e ilegal. Para evitar as manifestações contrárias à votação, o presidente da Câmara Municipal, Vicente André Gomes (PSB), chamou o Batalhão de Choque e fechou as portas da Casa José Mariano, impedindo a livre manifestação dos cidadãos contrários ao plano. Não satisfeito, cassou a palavra de vereadores de oposição que, em protesto, retiraram-se do plenário.

Nada disso vimos no NETV. O que vimos foi tão somente foi uma ‘reportagem’ que destacou a aprovação do projeto por esmagadora maioria e dedicou a maior parte do tempo a uma fala do vereador Vicente André Gomes justificando o injustificável: “colocamos o projeto para votar porque setores da sociedade estavam reclamando na demora do projeto”. Os setores aos quais o vereador se referia, naturalmente, eram os empreiteiros, pois a sociedade civil organizada estava na porta da Câmara Municipal exigindo justamente o adiamento da votação para que houvesse mais discussão e debate com todos os segmentos envolvidos. Não tiveram a preocupação sequer de ouvir representantes da oposição e da sociedade civil. Completando a ‘cobertura “jornalística’, uma brilhante peça promocional do Consórcio Novo Recife: uma nota coberta repetindo os argumentos da publicidade paga pelos empreiteiros.

Diante disso, reiteramos nossa indignação não apenas contra procedimentos políticos que desrespeitam os processos democráticos, mas também contra as práticas jornalísticas daqueles que não honram a profissão que escolheram.

Nós, abaixo-assinados, convocamos todos os colegas a se juntarem a esta manifestação de repúdio.

Adriana Dória Matos – Unicap
Adriana Santana – Universidade Federal de Pernambuco
Alexandre Figueiroa – Unicap
Ana Veloso – Universidade Federal de Pernambuco
André Vouga- Universidade Federal de Pernambuco
Andrea Trigueiro – Unicap
Angela Prysthon – Universidade Federal de Pernambuco
Barbara Gollner – Universidade Federal de Pernambuco
Carolina Dantas – Universidade Federal de Pernambuco
Carolina Monteiro – Unicap
Carla Teixeira – Unicap
Cecilia Almeida – FBV
Claudio Bezerra – Unicap
Dario Vinícius de Brito – Unicap
Diego Gouveia – FBV/FPS
Eduardo Duarte – Universidade Federal de Pernambuco
Jeder Janotti – Universidade Federal de Pernambuco
José Afonso da Silva Junior – Universidade Federal de Pernambuco
Juliano Domingues – Unicap
Nina Velasco – Universidade Federal de Pernambuco
Isaltina Gomes – Universidade Federal de Pernambuco
Patrícia Horta – Universidade Federal de Pernambuco
Paula Reis – Universidade Federal de Pernambuco
Paulo Cunha – Universidade Federal de Pernambuco
Marjones Pinheiro – UniNassau
Rodrigo Stefani – Universidade Federal de Pernambuco
Sheila Borges – Universidade Federal de Pernambuco
Soraya Barreto – Universidade Federal de Pernambuco
Thiago Soares – Universidade Federal de Pernambuco
Yvana Fechine – Universidade Federal de Pernambuco”

(Foto de capa: Mídia NINJA)



No artigo

x