Ex-esposa de ciclista assassinado no RJ é contra a redução da maioridade penal

O caso de Jaime Gold, médico que foi morto a facadas essa semana no Rio de Janeiro, reacendeu o debate sobre a redução da maioridade penal, já que a suspeita é de que seus agressores sejam menores de idade; ex-esposa da vítima, no entanto,...

730 0

O caso de Jaime Gold, médico que foi morto a facadas essa semana no Rio de Janeiro, reacendeu o debate sobre a redução da maioridade penal, já que a suspeita é de que seus agressores sejam menores de idade; ex-esposa da vítima, no entanto, se diz contra a proposta e ainda critica aqueles que tentam se aproveitar da tragédia para justificar suas opiniões

Por Redação 

Em entrevista ao jornal O Dia nesta quinta-feira (21), Marcia Amil – ex-esposa do médico que foi assassinado a facadas na Lagoa Rodrigo de Freitas essa semana, no Rio de Janeiro – deu um depoimento emocionado e frustrou os defensores da redução da maioridade penal que acreditavam que o caso pudesse ser um exemplo para justificar a proposta, já que o crime teria sido praticado por menores. 

“Nem sei se foram menores, mas sei que Jaime foi vítima de vítimas, que são vítimas de vítimas. Enquanto nosso país não priorizar saúde, educação e segurança, vão ter cada vez mais médicos sendo mortos no cartão postal do país. E não só médicos, afinal, morrem cidadãos todos os dias em toda a cidade, não só na Zona Sul”, disse a ex-companheira de Jaime Gold, criticando também os holofotes da mídia, que muitas vezes ignoram os assassinatos ocorridos em favelas ou regiões menos privilegiadas. 

Gold, que era cardiologista e estava com 55 anos, morreu a facadas após um assalto na Lagoa Rodrigo de Freitas, na última terça-feira (19). Ele estava andando de bicicleta antes de ser abordado por duas pessoas que a polícia suspeita serem menores de idade. 

Na manhã desta quinta-feira (21), a polícia carioca apreendeu um adolescente de 16 anos sob suspeita de ser um dos autores do assassinato do médico. 


Foto: Reprodução 

 



No artigo

x