Após prisão, nome de Marin é removido da sede da CBF

O prédio foi inaugurado em junho de 2014, quando Marin ainda era presidente da entidade; ele foi preso ontem (27) pelo FBI junto a outros seis executivos ligados à Fifa

374 0

O prédio foi inaugurado em junho de 2014, quando Marin ainda era presidente da entidade; ele foi preso ontem (27) pelo FBI junto a outros seis executivos ligados à Fifa

Por Redação

(Divulgação/CBF)
(Divulgação/CBF)

A sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, amanheceu nesta quinta-feira (28) sem o letreiro com o nome de José Maria Marin, ex-presidente da entidade. A remoção foi feita depois que o dirigente foi preso ontem (27), junto a outros executivos ligados à Fifa, em Zurique, na Suíça.

A CBF não se manifestou oficialmente sobre a mudança. O prédio, construído ao custo de R$ 100 milhões – R$ 70 milhões na compra do imóvel e R$ 30 milhões em obras –, foi inaugurado em 2014, quando Marin ainda comandava a confederação. Na quarta, o secretário-geral da CBF, Walter Feldman, disse que qualquer mudança dependeria do atual presidente Marco Polo del Nero.

Marin ainda ocupava um cargo no comitê organizador dos torneios olímpicos de futebol da Fifa e uma das vice-presidências da CBF, mas foi afastado das funções temporariamente pelas entidades após sua prisão. Ele e os demais cartolas foram detidos pelo FBI, que investiga crimes como extorsão, fraude e conspiração para lavagem de dinheiro.



No artigo

x