Garantia da Lei e Ordem e a preocupante ocupação da SABESP

Ano passado escrevi um artigo sobre a Portaria Garantia da Lei e Ordem ( http://www.revistaforum.com.br/brasilvivo/2014/08/02/o-estado-contra-o-povo-portaria-garantia-da-lei-e-da-ordem-governo-federal/ ), sancionada pelo governo Dilma em janeiro de 2014. Essa portaria tem passado quase despercebida, principalmente pelo partidos de...

1174 1

Ano passado escrevi um artigo sobre a Portaria Garantia da Lei e Ordem ( http://www.revistaforum.com.br/brasilvivo/2014/08/02/o-estado-contra-o-povo-portaria-garantia-da-lei-e-da-ordem-governo-federal/ ), sancionada pelo governo Dilma em janeiro de 2014. Essa portaria tem passado quase despercebida, principalmente pelo partidos de esquerda com representação no Congresso – exceto PSOL-, talvez por vergonha. Afinal, esta é uma portaria editada sob um governo de deveria ser de esquerda e que praticamente reedita da Lei de Segurança Nacional, normatizando ações repressivas contra o povo, chegando a admitir, inclusive, o uso de armamentos letais. Agora, novo passo na efetivação da portaria GLO: a ocupação militar da SABESP.

O Comando Militar do Sudeste anuncia a ocupação como um simples exercício militar. De fato, um exercício que se antecipa à mais que provável falta d´água na maior concentração humana do Brasil. Em 15 de maio de 2014 São Paulo começou a retirar água do chamado “Volume Morto” do Cantareira. Por motivos eleitorais o governo do estado se recusou a tomar medidas preventivas de racionamento no abastecimento na água; com isso, já estamos em maio de 2015 e sequer recuperamos o “volume morto” de um ano atrás, como já estamos em período de baixa intensidade de chuvas, a tendência é que o Cantareira seque por completo entre agosto/setembro. Será uma catástrofe ambiental talvez somente experimentada pelas grandes cidades Mayas, pouco antes do colapso de sua civilização. Nas dimensões da Região Metropolitana de São Paulo, não há nenhum caso no mundo contemporâneo em que as autoridades governamentais tenham permitido que a situação tivesse chegado a uma gravidade destas, nem em Los Angeles, ou Nova Delhi, grandes cidades cercadas por desertos. Simplesmente não haverá água para 20 milhões de pessoas, ou mais. É aí que entra o Exercito Brasileiro. Ao invés de exercitarem medidas alternativas para assegurar o fornecimento de água à população, se exercitam para reprimir o povo, guardando o líquido cada vez mais escasso, que será preservado apenas para alguns.

O nome da portaria GLO, de 31 de janeiro de 2014, do governo federal é  “Garantia da Lei e Ordem”, mas também poderia ser chamada de “O Estado contra o Povo”. Nos preocupemos e nos preparemos, pois o exercício militar na SABESP nos faz antever dias piores.



No artigo

1 comment

  1. Fernando Responder

    Olá Célio.

    Ano passado fui até os reservatórios, começando pelas represas próximas a Bragança Paulista e desci até as de Mairiporã, fiquei surpreendido pela complexidade geográfica do sistema Cantareira, são várias represas em níveis topográficos diferentes, dispostas numa área gigantesca. Não imagino realmente como uma estratégia militar seria útil para preservar ou impedir o acesso a essas represas. Ninguém vai conseguir desviar água com um cano até a sua residência, muito menos criminosos iriam conseguir roubar um volume de água, e se fossem, a velha e inútil PM serviria para contê-los. A grande irrealidade dessa notícia é justamente uma força militar Federal se posicionar num campo onda há circunscrição do Governo Estadual.


x