Obama repudia atentado à igreja frequentada por negros; suspeito é detido

Presidente norte-americano destaca que massacre em igreja de Charleston, na Carolina do Sul, "não é fato isolado"; principal suspeito é um rapaz branco de 21 anos

451 0

Presidente norte-americano destaca que massacre em igreja de Charleston, na Carolina do Sul, “não é fato isolado”; principal suspeito é um rapaz branco de 21 anos

Do Opera Mundi

atirador-igreja-charleston
Dylann Storm Roof, de 21 anos, é suspeito número 1 (Reprodução/Twitter)

“Nós, como país, temos de levar em conta que este tipo de violência em massa não acontece em outros países avançados”, afirmou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na tarde desta quinta-feira (18). A declaração vem horas após o massacre em uma igreja frequentada pela comunidade negra de Charleston (Carolina do Sul) deixar ao menos nove mortos. O suspeito, Dylann Storm Roof, de 21 anos, foi preso.

Para Obama, o episódio “coloca uma ameaça particular à democracia” norte-americana e lembra que esse não foi um fato isolado na história do país. Em 1963, umataque contra uma igreja frequentada por negros em Birmingham, Alabama, matou quatro meninas e gerou uma onda de revolta por direitos civis no país.

O chefe de Estado confirmou que o principal suspeito pelo ataque foi detido pela polícia e está preso e que o FBI está investigando o caso como um “crime de ódio”.

Na noite de quarta (17), o jovem branco entrou armado em um culto religioso na Igreja Africana Metodista Episcopal Emmanuel. Entre as nove vítimas estava o senador estadual democrata Clementa Pinckney. “Pessoas inocentes foram mortas em parte porque alguém que queria machuca-las não teve problema em ter uma arma na mão”, comentou o presidente.

“Nossos pensamentos e orações estão com as famílias, mas isso não diz o suficiente para expressar a tristeza e a raiva que sentimentos”, disse Obama. “Qualquer tiroteio que envolve múltiplas vítimas é uma tragédia”, acrescentou em conferência na Casa Branca.



No artigo