Homem ameaça jovens com arma em ato contra a redução da maioridade penal

Os jovens bloqueavam uma avenida de Porto Alegre quando um homem avançou com o carro para cima das pessoas e desceu do veículo para ameaçá-los com um revólver; assista ao vídeo

566 0

Os jovens bloqueavam uma avenida de Porto Alegre quando um homem avançou com o carro para cima das pessoas e desceu do veículo para ameaçá-los com um revólver; também houve tumulto em Brasília, onde manifestantes acampam desde segunda-feira como forma de fazer pressão contra a proposta de redução da maioridade penal; confira 

Por Ivan Longo e Maíra Streit 

Nesta terça-feira (30), em todo o país, aconteceram atos e manifestações contra a proposta de redução da maioridade penal (PEC 171/93) que está em discussão no Congresso. Em Porto Alegre (RS), a resposta de um homem para jovens que pediam por “mais escolas e menos cadeias” foi a intolerância e a violência.

Por volta das 10h da manhã, um grupo com cerca de 60 integrantes do Levante Popular da Juventude seguiu do Viaduto da Conceição até a avenida Mauá, onde realizaram um bloqueio como forma de protesto. Quando a fila de carros começou a acumular, um veículo em específico deu partida e atropelou alguns desses jovens. Poucos metros depois, o motorista parou e começou a ameaçar os manifestantes com um revólver que havia sacado da cintura.

Ao perceber que estava sendo filmado, ele guarda a arma, mas continua as ameaças.

Confira o vídeo abaixo gravado pela militante Ana Costa:

Brasília 

As discussões em torno da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz de 18 para 16 anos a maioridade penal em casos de crimes graves causou tumulto ontem (30) na Câmara dos Deputados. Manifestantes contrários à PEC reclamaram de terem sido impedidos de entrar nas galerias do plenário. Todos os acessos foram fechados pela Polícia Legislativa e poucos conseguiram furar o bloqueio.
Foto: Maíra Streit
Foto: Maíra Streit

Como uma forma de pressionar os parlamentares, lideranças de diferentes setores da sociedade civil acamparam em frente ao Congresso Nacional. A programação preparada para o evento contou com shows, debates, oficinas e conversas com deputados, na tentativa de conscientizá-los sobre os prejuízos da diminuição da maioridade penal para a juventude brasileira.

A diretora da União Nacional dos Estudantes Amanda Mantovani avaliou positivamente o diálogo com os parlamentares e afirmou que, independentemente do resultado da votação de terça-feira, os movimentos sociais não deixarão a pauta cair no esquecimento. “A mobilização continua, vamos continuar fazendo pressão”, disse.

O ativista Patrick Souza, que veio de Minas Gerais para se juntar ao grupo de manifestantes em Brasília, acredita que a diminuição da maioridade penal acaba desvirtuando o foco central das políticas públicas necessárias aos adolescentes. “Precisamos de mais escolas e menos cadeias. Precisamos investir nos direitos básicos dos jovens. Já temos a quarta maior população carcerária do mundo e 70% dos presos reincidem no crime. O sistema carcerário está falido, não reabilita ninguém”, protestou.

Resultado

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, na madrugada desta quarta-feira (1º), o texto que reduz a maioridade penal. Foram 303 votos a favor, quando o mínimo necessário eram 308. Foram 184 votos contra e 3 abstenções. No entanto, segundo avisou o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a discussão não está encerrada. O Plenário ainda tem de votar o texto original da proposta ou outras emendas que tramitam em conjunto.

Foto: Reprodução 



No artigo

x