Do impresso ao digital, Fórum proporciona uma nova experiência de se ler revistas

Fórum apresenta a sua nova revista semanal: um formato dinâmico e inovador que remonta à experiência de se ler uma publicação impressa, mas com as inúmeras possibilidades permitidas por uma plataforma eletrônica

1021 0

Fórum apresenta a sua nova revista semanal: um formato dinâmico e inovador que remonta à experiência de se ler uma publicação impressa, mas com as inúmeras possibilidades permitidas por uma plataforma eletrônica

Por Ivan Longo

Edição 0 da Revista Fórum e sua edição impressa, em 2001.
Edição número zero da Revista Fórum e sua edição impressa, em 2001

De 2001 a 2013, em 129 edições, a revista Fórum circulou em bancas de jornal no formato tradicional do papel. A partir de 2014, acompanhando a tendência cada vez maior de ocupar um espaço onde grande parte da esfera pública se concentra – a internet –, a revista migrou para o meio digital e, desde então, vem tentando criar meios de propiciar um produto editorial com a qualidade que uma revista impressa carrega em um ambiente no qual muitos ainda tentam se adaptar: o virtual.

“Desde que foi lançado o Ipad a gente sabia que ele transformaria esse jeito de ler revistas. Mas, na prática, isso não aconteceu. Então a gente acabou passando por algumas experiências antes de lançar esse novo projeto que considero inovador e que vai pautar mudanças de muitas outras publicações daqui em diante”, afirmou Renato Rovai, editor-chefe da revista Fórum.

O novo projeto a que Rovai se refere é a nova revista Fórum Semanal. Em parceria com a Doka Comunicações, foi criado um formato inspirado em grandes plataformas de revista online, como as da Adobe, mas com uma diferença fundamental: as revistas online que já existem, que utilizam essas plataformas tradicionais, se limitam aos aplicativos e têm sua leitura dificultada quando aberta em qualquer outro dispositivo que não seja o smartphone ou o tablet. A Revista Digital Online (RDO) desenvolvida para Fórum pode ser acessada de qualquer aparelho eletrônico, desde tablets e celulares até desktops e laptops, sem que a leitura seja prejudicada.

Esse modelo, inclusive, foi constituído com base em uma pesquisa acadêmica de Adriano Rodrigues, publicitário e sócio-proprietário da Doka Comunicações. “Sou professor da [faculdade] Cásper Líbero e, no ano passado, entrei para ser professor pesquisador. Pensei o seguinte: já que eu entrei nessa pesquisa, vou fazer uma que consiga resolver um problema meu e do mercado. Estou cansado de fazer pesquisa e ficar engavetada. Fiquei um ano pesquisando essa teoria. Meu objetivo era entender o que era revista digital e, ao mesmo tempo, criar um modelo prático pra viabilizar isso”, afirmou, explicando que um dos principais problemas do mercado editorial, nesse sentido, era remontar à experiência de leitura em um ambiente digital de modo que isso não ficasse limitado a um aplicativo ou a uma única plataforma, que é o que acontece, em geral, com as revistas digitais já existentes.

Com a adoção deste novo modelo, o problema foi superado. “O leitor vai ler uma revista do mesmo jeito que ele lia no papel, mas agora no smartphone, no desktop, no laptop e no IPad. Não só no IPad como eram nas plataformas anteriores. Acho que esse é o grande dado: Fórum traz para o mercado editorial brasileiro não mais um aplicativo, mas uma nova experiência de leitura de revista”, destaca Rovai.

Rodrigues detalha: “O que vejo muito hoje nessas revistas online que já existem é que o conteúdo, muitas vezes, não é visto. O conteúdo é colocado dentro daquela plataforma e acaba ficando pequeno em outros aparelhos, o leitor tem que ficar pinçando, aumentando a visualização da tela para poder ler e isso é horrível. A nossa trabalha com um conceito de design expansivo, onde a cada dispositivo em que o conteúdo é acessado ele se adapta e a leitura fica agradável”.

Edições da Fórum em formato digital
Edições da Fórum em formato digital

A convergência entre o novo e o tradicional

Uma das principais premissas da Fórum para o desenvolvimento de um novo modelo é a de que o conceito da revista impressa – com um design bem formatado, uma diagramação prática e uma leitura profunda, agradável e organizada – deveria ser retomado uma vez que o conceito da revista deve ser distinto do conceito de site noticioso, como é o portal da publicação. No novo formato, matérias de profundidade que antes eram lidas no papel poderão ser consumidas em plataformas digitais sem que a forma e a qualidade de uma revista convencional sejam perdidas.

Em uma página chamada “Banca”, o leitor poderá escolher, pela capa, a edição que deseja ler. Ao clicar, um sumário tradicional de revistas é aberto com as matérias e, ao entrar nas matérias, o leitor encontra um conteúdo diagramado e organizado como no papel mas aliado a tecnologias permitidas pelo mundo digital, como vídeos, podcasts, infográficos animados, galerias de fotos digitais etc. Tudo isso acessado via web ou aplicativo instalado em seu dispositivo. É a soma entre o novo e o tradicional.

“Todo o processo de convergência pode ser feito de uma forma radical ou de uma forma sutil. A nossa ideia foi trabalhar uma transição mais gradativa. A gente poderia transformar direto no padrão que a gente acredita que seria bom, mas talvez o leitor pudesse estranhar um formato muito diferente. Qual foi nossa intenção? Buscar a referência de uma revista impressa, tradicional, para que o leitor tenha uma interação mais próxima com o universo que ele conhece”, explicou Adriano.

“Quando a gente fala de retomar é retomar a experiência, a experiência de leitura. Por que revista é algo diferente de um site. Quando você acessa um portal a matéria está lá mais com cara de jornal diário. Ela não está preocupada com a edição gráfica, ou com a posição da imagem, as relações imagéticas… E revista sempre foi isso. Obviamente vai ser diferente do papel, isso é transposto para o digital, vai ter vídeo, áudio, podcasts… A gente vai brincar com a leitura, o leitor vai ter uma experiência de revista nesse sentido, mas superando as limitações que o papel implicava”, completou Rovai.

Um novo produto para uma mídia cada vez mais livre

Desde que surgiu, em 2001, até os dias de hoje com o portal, Fórum atua no campo do jornalismo independente e compactua com o conceito editorial e político do midialivrismo. A grande barreira dos veículos de mídia livre vem sendo, até então, encontrar uma forma de se sustentar para continuar exercendo um contraponto em relação à imprensa tradicional, historicamente financiada e atrelada aos interesses de grandes empresas.

Com a nova Revista Fórum Semanal, a mídia livre ganha mais um produto que proporciona a possibilidade de uma relação ainda mais próxima com o leitor que quer contribuir com a causa do jornalismo livre e independente. Para Rovai, o conteúdo é cada vez mais independente na medida em que a publicação dependa cada vez menos de patrocínios ou publicidades para sobreviver e mais da colaboração de seus próprios leitores.

“Estamos criando um novo produto em que se traz algo totalmente diferente do que é no portal para que o leitor também nos ajude a financiar todo o projeto a partir da compra desse produto diferenciado. Então, a gente apela para que os leitores também compreendam essa nossa necessidade. Estamos tentando fazer algo diferente para ele, mas para ele também ser solidário a nossa construção midialivrista”, analisou.



No artigo

x