Mantega reage a agressões e pede fim da intolerância

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, o ex-ministro da Fazenda comentou os ataques que sofreu recentemente e alerta para o autoritarismo crescente na sociedade: “A agressão, a injúria, a difamação são inaceitáveis e devem ser respondidas dentro da lei”.

373 0

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, o ex-ministro da Fazenda comentou os ataques que sofreu recentemente e alertou para o autoritarismo crescente na sociedade: “A agressão, a injúria, a difamação são inaceitáveis e devem ser respondidas dentro da lei”

Por Redação

Após ser alvo de sucessivas agressões públicas, o ex-ministro da Fazenda, Guido Mantega, resolveu reagir. Em artigo publicado na Folha de S. Paulo no último domingo (5), ele alertou para as atitudes de intolerância que têm tomado as ruas e o risco que elas podem causar à democracia do país. “Há algo diferente no ar. Algo que ameaça essa pluralidade. Trata-se do fantasma do autoritarismo, raiz de golpes, que, infelizmente, se manifesta de forma corriqueira, sempre pronto a agir no dia a dia das pessoas”, escreveu.

Mantega destacou ainda que é natural haver diferentes pontos de vista sobre determinado assunto, mas o respeito deve vir sempre em primeiro lugar. “Qualquer cidadão tem o direito de discordar do que fiz como ministro da Fazenda, mas no terreno das ideias, do debate. A agressão, a injúria, a difamação são inaceitáveis e devem ser respondidas dentro da lei”, afirmou.

No dia 28 de junho, o ex-ministro foi hostilizado no restaurante Trio, na Vila Olímpia, em São Paulo, quando alguns clientes gritaram uma série de insultos. O fato já havia se repetido em pelo menos duas outras ocasiões. A primeira, no Hospital Albert Einstein, onde a mulher dele passa por tratamento; e a segunda, na saída do restaurante Aguzzo, em Pinheiros.

Foto de capa: Arquivo/Agência Brasil



No artigo

x