Após referendo na Grécia, Fidel Castro saúda Tsipras pela “brilhante vitória política”

Hoje, decisões devem ser cuidadosamente elaboradas para que não se duvide da honestidade com a qual os "dirigentes responsáveis lutam", escreveu líder cubano

289 0

Hoje, decisões devem ser cuidadosamente elaboradas para que não se duvide da honestidade com a qual os “dirigentes responsáveis lutam”, escreveu líder cubano

Por Vanessa Martina Silva, do Opera Mundi

“O felicito [a Tsipras] calorosamente por sua brilhante vitória política”, diz a carta enviada pelo líder da Revolução Cubana Fidel Castro ao primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, como informou um comunicado do gabinete do primeiro-ministro grego divulgado nesta segunda-feira (06/07), noticiado pela agência AFP. A saudação se deve à vitória do “não” no referendo que questionou os gregos sobre acatar ou não as medidas de austeridade impostas pelos credores da dívida.

O ex-presidente cubano, que em agosto completa 89 anos, disse que acompanhou todo o processo vivenciado pela Grécia pelo canal multiestatal TeleSur e ressaltou a familiaridade que os cubanos têm com a Grécia devido aos estudos em filosofia, artes e ciência da Antiguidade, além da Ciência Política.

Na última sexta-feira (03/07), Fidel fez uma nova aparição pública durante uma reunião com produtores de queijo no Instituto de Pesquisas da Indústria Alimentar, no sudoeste da capital de Havana.

“Seu país, especialmente sua valentia na conjuntura atual, desperta admiração entre os povos latino-americanos e caribenhos deste hemisfério ao ver como a Grécia, diante das agressões externas, defende sua identidade e sua cultura”, afirmou Fidel.

O cubano também ressaltou que “na atual situação política do planeta, quando a paz e a sobrevivência de nossa espécie pendem por um fio, cada decisão, mais do que nunca, deve ser cuidadosamente elaborada e aplicada, de modo que ninguém possa duvidar da honestidade e da seriedade com a qual muitos dos dirigentes mais responsáveis e sérios lutam hoje para enfrentar as calamidades que ameaçam o mundo”.

A carta, datada de 5 de julho, termina desejando a Tisipras “o maior dos êxitos”.

Além de Fidel, outros líderes latino-americanos se pronunciaram sobre a vitória obtida pelo governo grego, como seu irmão, o presidente cubano Raúl Castro, a mandatária da Argentina, Cristina Kirchner, e os chefes de Estado de Venezuela, Nicolás Maduro, e Bolívia, Evo Morales.

(Foto: Estudio Revolución/Cubadebate)



No artigo

x