São Paulo mais moderna e mais humana

Em artigo, secretário municipal de governo de São Paulo, Chico Macena, fala sobre a requalificação dos espaços públicos na cidade

776 0

Em artigo, secretário municipal de governo de São Paulo, Chico Macena, fala sobre a requalificação dos espaços públicos na cidade

Por Chico Macena*

Caminhar por São Paulo pode ser uma grande aventura. Se você vai para o trabalho ou praticar uma atividade de lazer, certamente se deparará com uma série de desafios típicos de uma grande metrópole, inclusive com o individualismo e a impessoalidade.
É visível a urgência de requalificar espaços públicos ou oferecer novos locais de socialização. Por isso, a Prefeitura de São Paulo colocou em curso grandes projetos para tornar a cidade mais moderna e mais humana.

Entre os projetos está a ampliação da oferta de equipamentos culturais, de esporte e lazer. Até o momento oito equipamentos de cultura foram entregues: os teatros Paulo Eiró (Zona Sul), Arthur Azevedo (Zona Leste) e Flávio Império (Zona Leste), a Casa do Bandeirante (Zona Oeste), Torre da Memória (Centro), Edifício Ramos de Azevedo (Centro) e as Bibliotecas Cora Coralina (Zona Leste) e Camila Cerqueira Cesar (Zona Oeste) e uma programação permanente e extensa também foi lançada, o Circuito São Paulo de Cultura, cujo objetivo é democratizar o acesso à cultura, atuando nas áreas de música, artes cênicas, cinema e infantil. O Circuito oferece cerca de 500 atrações distribuídas em 40 equipamentos públicos, inclusive naqueles localizados na periferia.

A prática de esportes e atividades de lazer conta agora com 50 equipamentos esportivos requalificados, como os Centros Desportivos da Comunidade (CDC) e Clubes-Escola, o antigo Clube de Regatas Tietê, foi reformado e reaberto para a população durante a Virada Esportiva de 2014 e agora se chama Clube Esportivo Tietê. E vem mais por aí, com a reforma da Chácara do Jockey, na Zona Oeste.

Com o mesmo objetivo, a atual gestão provou que é possível ampliar ainda mais os espaços de convivência em parceria com a sociedade civil e/ou empresas e, neste sentido, regulamentou a criação de mini praças (parklets). Já são 32 em toda a cidade.

Com isso a cidade vai se humanizando e se abrindo, inclusive para o debate sobre o fechamento de grandes vias aos finais de semana para atividades de lazer. Prova da vontade paulistana de transformar vias emblemáticas em ruas de lazer, se deu no último dia 28/06, quando a av. Paulista foi tomada por ciclistas e pedestres durante a inauguração da ciclovia da Paulista.

E a partir do próximo sábado (11/07), o Minhocão será aberto para as pessoas das 15h00 e só será “devolvido” para os veículos motorizados na segunda-feira, fazendo pulsar novamente o centro antigo, enquanto espaço de sociabilidade.

Certamente, promover a criação de novos espaços não é suficiente. É preciso também investir em infraestrutura, para que as pessoas possam ir e vir e usufruir com mais qualidade da cidade. Neste sentido, a Prefeitura instalou mais de 53 mil novos pontos de iluminação e já prepara uma Parceria Pública Privada (PPP) que prevê a troca de aproximadamente 620 mil lâmpadas da cidade por LED, a criação de novos pontos de luz e a implantação de uma central de monitoramento do serviço.

E com todo o avanço da tecnologia dos aparelhos celulares, onde todo mundo está sempre conectado e em qualquer lugar, a cidade precisava oferecer acessos à internet. Agora qualquer um pode acessar uma rede social ou qualquer outro site, nos quatro cantos de São Paulo. São 120 pontos de wi-fi gratuitos em praças, parques e ruas da capital. A população já se apropriou da novidade e é comum ver grupos de pessoas nas praças acessando a internet livre por meio de celulares e tablets.

Mas, uma cidade do tamanho de São Paulo não se tornará mais humana e mais moderna se não se preocupar com questões ambientais e com o descarte de resíduos e, para enfrentar este desafio, a coleta seletiva está sendo ampliada e a meta é universalizar o serviço nos próximos anos. Hoje, 60% da cidade é atendida pelo serviço de coleta seletiva e, para dar o destino correto ao lixo reciclável, duas novas centrais de triagem automatizadas foram criadas (Bom Retiro e Santo Amaro) e outras duas estão em fase de desapropriação de terreno com previsão de construção e inauguração em 2016.

Todas essas ações são em pouco tempo absorvidas pela paisagem da cidade e passam despercebidas para muita gente, mas, quem almeja uma cidade melhor sabe o quanto são significativas.

Com esses investimentos, a Prefeitura de São Paulo pretende valorizar ainda mais os cidadãos, promovendo a reocupação dos espaços públicos e tornando a cidade mais moderna e mais humana.

(*) Chico Macena, 52 anos, é administrador e Secretário do Governo do Município de São Paulo.



No artigo

x